fbpx

Realizar Acesso

Usuário *
Senha *
Lembrar
 

MUNDO - A Companhia Nacional de Petróleo líbia (NOC, na sigla em inglês) anunciou no sábado a retomada da produção e exportação de petróleo bruto na Líbia em locais "seguros".

A notícia chega um dia depois de o marechal que controla o leste do país, Khalifa Haftar, anunciar a suspensão, sob condições, do bloqueio de oito meses imposto por suas forças, mas a NOC exigiu a saída dos grupos armados antes de retomar a produção.

"Os operadores foram instruídos a retomarem [...] a produção e as exportações dos campos e dos terminais seguros", explicou a NOC em seu site.

A companhia anunciou também a suspensão da "força maior em portos e campos petrolíferos seguros", mas esta será mantida onde "se verificar a presença de elementos dos grupos (de mercenários russos) Wagner e de grupos armados", sem citar o nomes dos locais em questão.

O "caso de força maior", apontado em circunstâncias excepcionais, permite à companhia eximir-se de sua responsabilidade caso os contratos de entrega de petróleo não sejam respeitados.

A Líbia, que tem as reservas de petróleo mais abundantes da África, está às voltas com um conflito entre duas potências rivais: o Governo da União Nacional (GNA) com sede em Trípoli e o marechal Khalifa Haftar, que domina o leste e uma parte do sul.

O marechal Haftar controla os principais locais de petróleo onde suas forças bloquearam todas as atividades desde janeiro, denunciando uma distribuição desigual de renda entre o oeste e o leste.

O bloqueio causou prejuízos de mais de 9,8 bilhões de dólares, segundo dados da NOC.

 

 

*Por: AFP

MUNDO - O sueco Mondo Duplantis fez história na tarde desta quinta-feira (17) ao estabelecer um novo recorde mundial para a prova de salto com vara disputada ao ar livre, com a marca de 6,15 metros. O feito foi alcançado durante a etapa de Roma (Itália) da Diamond League de atletismo.

Com a marca obtida nesta quinta, o jovem sueco, de apenas 20 anos, quebrou a marca de provas realizadas ao ar livre, de 6,14 metros, estabelecida pelo ucraniano Sergey Bubka no dia 31 de julho de 1994.

Duplantis já tinha o recorde geral em provas de salto com vara, de 6,18 metros, obtida em fevereiro deste ano na Escócia em uma prova realizada em uma instalação fechada.

Desta forma, o sueco possui tanto o recorde de provas indoor como outdoor, encerrando uma polêmica que cercava a modalidade. “Queria ser o melhor do mundo ao ar livre com 6,15 metros, para que não houvesse mais confusão. Agora tenho os melhores saltos indoor e outdoor”, declarou Duplantis.

 

 

 

*Por Agência Brasil

MUNDO - Os preços ao consumidor na zona do euro caíram em agosto, confirmou nesta quinta-feira (17),  a agência de estatísticas da UE, e o núcleo da inflação que exclui elementos voláteis desacelerou com força também.

Os preços nos 19 países que usam o euro caíram 0,4% em agosto sobre o ano anterior e recuaram 0,2% na comparação anual, disse a Eurostat, em linha com sua estimativa anterior e com as expectativas do mercado.

Os preços da energia caíram 7,8% na base anual em agosto e tiveram o maior impacto sobre o índice de preços ao consumidor.

Sem os voláteis preços de alimentos e energia, ou o que o Banco Central Europeu chama de núcleo da inflação, os preços caíram 0,5% no mês e subiram 0,6% na comparação anual, como esperado por economistas consultados pela Reuters. Isso representa desaceleração sobre a alta anual de 1,3% em julho.

O BCE busca manter a inflação abaixo mas perto de 2% no médio prazo e observa o núcleo da inflação em suas decisões de política monetária.

 

 

*Reportagem de Jan Strupczewski / REUTERS

MUNDO - Um grupo de países ricos que representa 13% da população mundial comprou mais da metade das doses de vacina prometidas pelos laboratórios contra a Covid-19, de acordo com um relatório da ONG Oxfam divulgado nesta última quarta-feira (16).

A organização analisou os acordos fechados pelas empresas que desenvolvem e fabricam as cinco principais vacinas contra o coronavírus e que estão atualmente na última fase de testes clínicos: AstraZeneca, Gamaleya/Sputnik, Moderna, Pfizer e Sinovac.

"O acesso às vacinas que salvam vidas não deveria depender de onde se vive ou de quanto dinheiro se tem", declarou Robert Silverman, diretor da Oxfam. "O desenvolvimento e a aprovação de uma vacina segura e eficaz é crucial, mas é igualmente importante garantir que as doses estejam disponíveis para todos. A Covid-19 está em todos os lugares", lembrou.

Segundo cálculos da Oxfam, os laboratórios deverão produzir 5,9 bilhões de doses. Isso seria o suficiente para cerca de 3 bilhões de pessoas, o que leva a crer que serão necessárias duas doses. Até agora, 2,7 bilhões (51%) das 5,3 bilhões de doses negociadas foram encomendadas por países, territórios e regiões que incluem Estados Unidos, Reino Unido, União Europeia, Hong Kong, Macau, Japão, Suíça e Israel.

 As outras 2,6 bilhões de doses foram adquiridas, ou receberam promessas de aquisição, de países em desenvolvimento como Brasil, Índia, Bangladesh, China e México, entre outros. Segundo a Oxfam, uma das principais candidatas, a vacina do laboratório Moderna recebeu pedidos de governos avaliados em US$ 2,5 bilhões, mas a empresa vendeu para os países ricos as opções de compra de toda sua produção.

A ONG pediu que uma "vacina do povo", que seria distribuída gratuitamente e com base nas necessidades de cada país, também seja disponibilizada. "Isso só seria possível se as corporações farmacêuticas permitissem que as vacinas fossem produzidas compartilhando gratuitamente as patentes, em vez de proteger seus monopólios e vender em função da melhor proposta", concluiu. A organização calculou que o custo estimado do suprimento da vacina para cada habitante do planeta é inferior a 1% do impacto previsto na economia mundial pela Covid-19.

Em seu discurso nesta quarta-feira (16), em frente ao Parlamento europeu, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von Der Leyen, alertou para o perigo do "nacionalismo das vacinas", que coloca as populações em perigo, pediu cooperação dos Estados em matéria de saúde.

 

Otimismo

Nesta quarta-feira (16), a China afirmou que sua vacina pode estar pronta para aplicação em larga escala a partir de novembro. Os cientistas chineses estão muito otimistas com os avanços das pesquisas das empresas Sinovac Biotech e Sinopharm. Seus representantes esperam a aprovação das vacinas após os testes da fase 3, até o fim do ano.

Atualmente, nove vacinas candidatas estão sendo testadas em humanos em fase avançada, com alguns obstáculos: o grupo farmacêutico AstraZeneca e a Universidade de Oxford interromperam por alguns dias seus os testes clínicos na semana passada, depois que uma voluntária apresentou um efeito colateral inexplicável.

 

 

*Por: RFI

MUNDO - O superávit comercial não ajustado da zona do euro deu um salto em julho na comparação com o mesmo período do ano anterior, mostraram dados nesta quarta-feira, com as importações caindo mais em meio à desaceleração econômica causada pela pandemia de Covid-19 do que as exportações.

O escritório de estatísticas da União Europeia, Eurostat, disse que o superávit comercial dos 19 países que compartilham o euro com o resto do mundo foi de 27,9 bilhões de euros em julho, um alta ante os 23,2 bilhões um ano antes. As importações da zona do euro caíram 14,3% em julho em relação ao ano anterior, enquanto as exportações caíram apenas 10,4%.

Com ajuste sazonal, o superávit comercial em julho foi de 20,3 bilhões de euros, ante 16,0 bilhões em junho, uma vez que as exportações com ajuste sazonal aumentaram 6,5% ante o mês anterior e as importações subiram apenas 4,2%.

O déficit comercial da União Europeia com a China cresceu no período de janeiro a julho para 104,8 bilhões de euros, versus 92,5 bilhões no mesmo período de 2019, mas o déficit comercial com a Rússia, principal fornecedora de petróleo e gás da Europa, caiu drasticamente de 38,3 bilhões para 12,4 bilhões de euros.

O superávit comercial da UE nos primeiros sete meses do ano com os Estados Unidos diminuiu de 89,1 bilhões para 82,7 bilhões e com o Reino Unido de 75,8 bilhões para 55,7 bilhões de euros.

 

 

*Por Jan Strupczewski / REUTERS

MUNDO - A Índia planeja oferecer incentivos no valor de 1,68 trilhão de rupias (US$ 23 bilhões) para atrair fabricantes ao país, disseram pessoas com conhecimento do assunto.

O governo do primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, oferecerá incentivos de produção para fabricantes de automóveis, painéis solares e aço especial para empresas de eletrodomésticos, de acordo com documentos revisados pela Bloomberg News. Unidades têxteis, processadoras de alimentos e farmacêuticas especializadas também são consideradas para o plano.

O programa de incentivo, liderado pela agência de planejamento de políticas do país, usa o modelo de um regime implementado no início do ano para atrair empresas da China. Cerca de duas dezenas de empresas, como Samsung Electronics, Hon Hai Precision Industry, conhecida como Foxconn, e Wistron, prometeram US$ 1,5 bilhão em investimentos para instalar fábricas de telefones celulares no país, de acordo com o governo, que ofereceu pagar o equivalente entre 4% e 6% das vendas incrementais nos próximos cinco anos.

O governo indiano tenta atrair investimentos para recuperar a economia, que registrou a pior recessão entre as principais economias no último trimestre, quando o PIB encolheu 23,9%. Os impostos corporativos já estão entre os mais baixos da Ásia, enquanto as regras de insolvência foram revisadas para facilitar os negócios. Mas as medidas tiveram pouco impacto para tornar a Índia a primeira opção para empresas que buscam diversificar cadeias de suprimentos fora da China.

O Vietnã continua a ser o destino preferido, seguido por Camboja, Mianmar, Bangladesh e Tailândia, de acordo com recente pesquisa do Standard Chartered.

“A mudança certamente terá impacto positivo na manufatura, especialmente para os chamados setores em expansão, como solar e eletrônicos”, disse Madan Sabnavis, economista-chefe da Care Ratings. “É uma boa forma de atrair investimentos e tem potencial para fazer a diferença nesses setores.”

O governo também planeja introduzir um programa de fabricação em fases para que empresas aumentem gradualmente adição de valor local. O programa, atualmente em vigor para componentes e acessórios de telefones celulares, poderia ser estendido para móveis, plásticos, brinquedos e bens de consumo duráveis de baixo valor. A maioria desses itens é atualmente importada da China.

Os detalhes de ambos os programas estão em elaboração e serão submetidos à aprovação do gabinete federal em breve, disseram as fontes.

Um porta-voz do Niti Aayog, o think tank de políticas do governo, não respondeu a uma ligação feita durante o horário comercial.

A Índia importou bens da China no valor de US$ 65 bilhões no ano encerrado em 31 de março, enquanto as exportações para o país vizinho somaram US$ 17 bilhões, criando um déficit comercial de US$ 48 bilhões, de acordo com dados mais recentes do governo.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

 

 

*Por: Abhijit Roy Chowdhury / ©2020 Bloomberg L.P.

MUNDO - A Federação Francesa de Tênis (FFT) detalhou o protocolo de saúde para realização de Roland Garros, um dos quatro Grand Slams, maiores torneios do Circuito Mundial de Tênis. A competição, com início no próximo 21 de setembro, terá público limitado a 60% da capacidade do complexo esportivo, apesar de a França viver um recrudescimento de casos do novo coronavírus (covid-19), com o recorde diário de quase nove mil infectados, registrado na  última sexta-feira (4).

Segundo a organização, o complexo de Paris será dividido em áreas que circundam as três principais quadras, com público restrito a cinco mil espectadores nas imediações das quadras Philippe-Chatrier (central) e Suzanne-Lenglen, e 1,5 mil nas proximidades da Simonne-Mathieu, que foi inaugurada ano passado. O público só poderá frequentar áreas correspondentes ao ingresso comprado e deverá respeitar o distanciamento entre as cadeiras. O uso de máscaras será obrigatório para maiores de 11 anos.

Ainda conforme a FFT, jogadores e pessoas credenciadas também deverão usar máscaras - exceto, claro, atletas que estejam em quadra - e serão submetidos a testes antes e durante o torneio. A organização orientou os participantes a se hospedarem nos hotéis oferecidos por ela. Os tenistas só terão acesso às quadras nos dias de seus jogos. Se não tiverem partida a disputar, eles poderão frequentar somente o centro de treinamentos.

A entidade que organiza o Torneio de Roland Garros, por fim, anunciou que os atletas eliminados na primeira rodada receberão uma premiação de 60 mil euros (pouco mais de R$ 375 mil), valor 30% maior que a de 2019. Segundo a FFT, trata-se de uma forma de "solidariedade" com os jogadores que passaram cerca de cinco meses sem competir, devido à pandemia.

O Grand Slam francês seria disputado em maio, mas foi adiado por conta da covid-19. A organização, até o momento, divulgou apenas as listas de participantes das chaves de simples. Este ano o Brasil terá representantes na disputa masculina. Thiago Monteiro, número um do país e 83º colocado no ranking da Associação dos Tenistas Profissionais (ATP) entra direto na primeira fase. Thiago Wild (113º) e João Menezes (189º) terão que superar a fase qualificatória.

 

 

*Por Lincoln Chaves - Repórter da TV Brasil e Rádio Nacional

*AGÊNCIA BRASIL

MUNDO - A Nintendo anunciou que seu mais recente console, o Switch, começará a ser vendido no Brasil a partir do dia 18 de setembro por 2,999 reais.

Mais ainda, as redes de lojas que venderão o Nintendo Switch no mercado brasileiro serão a Lojas Americanas e Magazine Luiza, tanto nas lojas físicas como nas respectivas lojas virtuais. No espaço digital poderá ainda ver o site Submarino.com.br.

O Nintendo Switch foi lançado no mercado em 2017 mas foi há cinco anos que a Nintendo deixou de vender consoles no Brasil, citando os impostos cobrados no país. Porém, agora a Nintendo fará uma nova tentativa de vender no Brasil.

 

 

*Por: NOTÍCIAS AO MINUTO

MUNDO - Uma semana depois da retomada das aulas presenciais, a França anunciou nessa 2ª feira (07) que fechou 28 escolas. Foram 262 turmas atingidas. O país enfrenta, desde julho, alta no número de casos de contaminação pelo novo coronavírus.

O ministro da Educação, Jean-Michel Blanquer, disse ao canal de televisão BFM TV que o número representa uma parte pequena de todos os colégios franceses. O país tem cerca de 60.000 escolas. “Este é o resultado indispensável da vigilância que estamos fazendo. Fechamos muito facilmente para sermos prudentes”, falou.

Blanquer afirmou que espera que mais escolas fechem nas próximas semanas por conta do rígido controle do governo.  O ministro explicou que bastam 3 adultos doentes para que a escola seja fechada. Ele disse também que a França não pretende adotar testes feito com amostra de saliva nas escolas. Disse que não são confiáveis.

Até esta 3ª feira (08), a França tem mais de 328 mil casos de covid-19 e 30.726 mortes pela doença, de acordo com o medidor Worldometers.

 

 

*Por: PODER360

Modelo estreará nas lojas europeias em janeiro, já com versão híbrida desde o lançamento

 

MUNDO - Quatro anos após seu lançamento comercial, o Peugeot 3008, SUV médio da marca do leão, passa por sua renovação de meia-vida. O modelo atual, que corresponde à segunda geração do carro, fez muito sucesso na Europa, com mais de 800 mil unidades vendidas desde 2016 e ganhou diversos prêmios no Velho Continente, incluindo o de Carro do Ano.

A reestilização do Peugeot 3008 começará a ser vendida na Europa somente em janeiro de 2021, mas estará disponível para reserva já nos próximos meses, desta vez incluindo uma versão híbrida plug-in e mais tecnologias. Como chega ao Brasil importado da França, espere por um lançamento aqui no 2º semestre do ano que vem, na melhor das hipóteses.

Com certeza, um dos elementos que mais ajudaram no sucesso do 3008 na Europa foi seu design, disruptivo e fora do que a marca normalmente fazia - tanto que ele inaugurou a identidade visual que a empresa seguiu com todos os seus SUVs até agora.

O 3008 renovado muda esse design em uma tentativa de aumentar a percepção de que se trata de um modelo "premium" da marca. Traz novidades vindas dos novos 208 e 2008, na forma das luzes em LED na vertical, imitando as presas de um leão, enquanto a grade perde a moldura prateada para usar um estilo que cria um efeito 3D, graças ao formato dos faróis e das linhas pretas abaixo deles na carroceria.

Os faróis foram redesenhados, tanto no formato quanto no desenho interno, enquanto as entradas de ar verticais logo abaixo também são novas, conversando com os LEDs na vertical que formam uma linha dos faróis até a metade do para-choque. Até as setas foram alteradas, agora com acendimento dinâmico.

Para completar a parte estética, temos novas rodas aro 19" de liga leve e uma renovação na paleta de cores do SUV, agora com 7 opções de pintura.

Do lado de dentro, além da melhoria no acabamento com uso de materiais mais nobres, faze estreia uma nova central multimídia com tela de 10" no centro do painel. O quadro de instrumentos digital continua a ser de 12,3", mas com melhorias para garantir que tenha contraste suficiente em quaisquer condições de luz.

Na parte mecânica, não há nenhuma novidade, já que o 3008 possui uma linha bem completa de motores. Chegará de cara com as versões híbridas plug-in, que haviam sido lançadas um tempo depois da estreia do carro. Terá uma variante com 225 cv que combina o motor 1.6 turbo com outro elétrico, movendo somente as rodas dianteiras, e também uma versão de tração integral chamada Hybrid4, com 300 cv. Em ambos os casos, a autonomia no modo elétrico é de 50 km.

Já a linha de motores a combustão é bem ampla, começando pelo 1.2 turbo de 130 cv e chegando ao 1.6 turbo (de 165 cv ou 180 cv), com possibilidade de usar uma transmissão manual de 5 marchas ou automática de 8 posições. Para a Europa, haverá as opções diesel na forma do 1.5 turbo de 130 cv.

Entre as tecnologias da linha 2021 estão melhorias para os sistemas semi-autônomos. Conta, por exemplo, com visão noturna por meio de câmera infravermelha para identificar pedestres, carros e animais durante à noite, controle de cruzeiro adaptativo com função Stop & Go, assistente de permanência em faixa, câmera de 360° e monitor de ponto cego, capaz de mover o volante automaticamente para evitar colisões.

Ainda terá vários acessórios e opcionais para quem quiser pagar um pouco mais pelo conforto, como tampa do porta-malas com abertura por gestos e bancos com função de massagem. O Peugeot 3008 será vendido na Europa em três versões (Active, Allure e GT), cada uma com um kit opcional chamado "Pack." Os preços ainda não foram divulgados, o que só deve acontecer quando começarem as reservas.

 

*Por: Nicolas Tavares / MOTOR1.uol.com.br

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Setembro 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30