fbpx

Realizar Acesso

Usuário *
Senha *
Lembrar
 

MUNDO - Tadej Pogacar se tornou o primeiro esloveno a ganhar o Tour de France depois de manter a camisa amarela na 21ª etapa no domingo, um dia depois de assumir a liderança geral.

Embora Sam Bennett tenha vencido a etapa final, o dia pertenceu a Pogacar, da Team UAE Emirates, que celebra seu 22º aniversário nesta segunda-feira e é o homem mais jovem a vencer a corrida desde Henri Cornet em 1904.

Pogacar, que conquistou a camisa amarela de Primoz Roglic com um desempenho monumental na prova contra relógio de sábado, também ganhou a camisa branca para o melhor ciclista sub-25 e a camisa de bolinhas pela classificação nas montanhas.

Roglic terminou em segundo, 59 segundos atrás, com o australiano Richie Porte em terceiro lugar.

Pogacar também venceu três etapas em uma das performances individuais mais brilhantes da história recente do Tour, deixando a equipe dominante Jumbo-Visma, de Roglic, se perguntando o que deu errado.

“Não esperávamos”, disse o companheiro de equipe de Roglic e ex-vice-campeão do Tour, Tom Dumoulin.

Bennett se tornou o primeiro irlandês desde Sean Kelly em 1989 a ganhar a camisa verde pela classificação por pontos, à frente de Peter Sagan, que buscava ampliar seu recorde ao conquistá-la pela oitava vez.

O final da competição na Champs-Élysées foi diferente este ano, pois apenas 5 mil torcedores puderam comparecer à famosa avenida como precaução contra o coronavírus.

A França registrou 13.498 novos casos de Covid-19 nas últimas no sábado, estabelecendo outro recorde em infecções diárias desde o início da epidemia.

Chegar à Champs-Élysées foi, no entanto, um alívio para os organizadores, que impuseram regras sanitárias rígidas para proteger a ‘bolha’ da corrida. Nenhum ciclista testou positivo.

 

 

 

*Julien Pretot / REUTERS

MUNDO - Os adiamentos sucessivos de jogos das eliminatórias da Copa do Mundo de 2022 causados pela pandemia do novo coronavírus (covid-19) se tornaram um problema, e um encurtamento do formato pode ser uma possibilidade em alguns casos, disse o presidente da Fifa, Gianni Infantino.

As eliminatórias sul-americanas, que deveriam ter começado em março, só começarão no mês que vem, e o início do torneio da Confederação de Futebol das Américas do Norte, Central e do Caribe (Concacaf), que deveria ter ocorrido neste mês, foi postergado para março próximo.

Enquanto isso, seis datas de partidas foram adiadas na competição de eliminatórias asiáticas.

“Estou preocupado, e obviamente é um verdadeiro problema, especialmente se a pandemia não parar ou afrouxar, ou se não começarmos a jogar de uma forma normal”, disse Infantino a repórteres após o Congresso da Fifa. “Estamos nas mãos das autoridades de saúde”, declarou.

Infantino disse que a entidade abriu uma janela extra para partidas internacionais em janeiro de 2022 e que estudará encontrar espaço para outras mais, algo que pode desagradar clubes europeus que teriam que liberar seus jogadores.

Uma alternativa poderia ser disputar três partidas, ao invés de duas, durante uma janela internacional, ou realizar eliminatórias em um único local, ao invés de em casa ou fora.

Ele acrescentou que a realização da Copa do Mundo do Catar, em novembro e dezembro de 2022, dá à Fifa algum espaço de manobra.

 

 

*Por Brian Homewood / REUTERS

MUNDO - O presidente da Fifa, Gianni Infantino, disse nesta última sexta-feira (18) que o Mundial de Clubes não acontecerá em 2020 em razão dos impactos da pandemia do novo coronavírus (covid-19). Segundo o dirigente suíço, a ideia é que a competição, sediada no Catar, ocorra no início de 2021.

“Como muitas confederações, ou algumas delas, melhor dizendo, possivelmente não terminarão os torneios continentais até dezembro, é improvável que o Mundial ocorra em dezembro, como planejado. Estamos monitorando e discutindo sobre realizá-lo, provavelmente, no começo do [próximo] ano, ao invés do fim do ano [de 2020]” afirmou Infantino em entrevista coletiva realizada após o encerramento do 70º congresso anual da Fifa.

“Faremos isso consultando as confederações e os participantes, para tomarmos a melhor decisão. Hoje, temos uma situação em que há coisas mais importantes que o futebol a serem levadas em conta”, completou o dirigente.

Em julho, a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) informou que a Libertadores de 2020 acabará em janeiro do próximo ano. A Liga dos Campeões Asiática, por sua vez, tem a decisão prevista para o dia 19 de dezembro. Até o momento, só dois times estão classificados para o Mundial: o Bayern de Munique (Alemanha), pelo título da Liga dos Campeões da Europa, e o Al Duhail, que foi campeão do Catar em agosto e será o representante do país-sede.

O Mundial no atual modelo, com sete equipes, será disputado pela última vez. A partir da edição seguinte, a Fifa pretende realizar a competição com 24 clubes, e a cada quatro anos. A primeira edição seria em 2021, no meio do ano, tendo o Flamengo, campeão da Libertadores de 2019, como um dos participantes. Devido à pandemia, Copa América e Eurocopa foram adiadas para o próximo ano e ocuparão a janela prevista para o Mundial, que ainda não foi remarcado.

“Quisemos deixar o calendário de 2021 para Euro e Copa América. Mas queremos que eles participem do Mundial de Clubes. Nossa relação hoje é muito próxima, tivemos muitas reuniões de nível operacional. Tudo isso vai ser debatido e discutido”, finalizou.

 

 

*Por: Lincoln Chaves - Repórter da TV Brasil e da Rádio Nacional

*AGÊNCIA BRASIL

RIO DE JANEIRO/RJ - O técnico Tite anunciou no início da tarde desta sexta-feira (18), a lista dos 23 convocados da Seleção Brasileira para os dois primeiros confrontos das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022. No dia 9 de outubro, o Brasil enfrenta a Bolívia, na Neo Química Arena, em São Paulo (SP). O segundo jogo será contra o Peru, fora de casa, no dia 13.

A grande novidade na lista do treinador é Gabriel Menino. Apesar de ser jogador de meio de campo, o atleta de 19 anos foi convocado atuar na lateral-direita, papel que também cumpre, quando necessário, no Palmeiras.

Além de Gabriel Menino, outros quatro atletas que atuam no futebol brasileiro foram convocados: os goleiros Santos (Athletico-PR) e Weverton (Palmeiras), o zagueiro Rodrigo Caio (Flamengo) e o meia Éverton Ribeiro (Flamengo).

 

Confira a lista completa:

Goleiros:

Alisson (Liverpool)

Santos (Athletico-PR)

Weverton (Palmeiras)

 

Laterais:

Danilo (Juventus)

Gabriel Menino (Palmeiras)

Alex Telles (Porto)

Renan Lodi (Atlético de Madrid)

 

Zagueiros:

Thiago Silva (Chelsea)

Marquinhos (PSG)

Felipe (Atlético de Madrid)

Rodrigo Caio (Flamengo)

 

Meias

Casemiro (Real Madrid)

Fabinho (Liverpool)

Bruno Guimarães (Lyon)

Douglas Luiz (Aston Villa)

Philippe Coutinho (Barcelona)

Éverton Ribeiro (Flamengo)

 

Atracantes:

Gabriel Jesus (Manchester City)

Rodrygo (Real Madrid)

Neymar (PSG)

Everton (Benfica)

Roberto Firmino (Liverpool)

Richarlison (Everton)

 

 

*Por: Mauricio Costa - Repórter da Rádio Nacional

*AGÊNCIA BRASIL

MUNDO - O sueco Mondo Duplantis fez história na tarde desta quinta-feira (17) ao estabelecer um novo recorde mundial para a prova de salto com vara disputada ao ar livre, com a marca de 6,15 metros. O feito foi alcançado durante a etapa de Roma (Itália) da Diamond League de atletismo.

Com a marca obtida nesta quinta, o jovem sueco, de apenas 20 anos, quebrou a marca de provas realizadas ao ar livre, de 6,14 metros, estabelecida pelo ucraniano Sergey Bubka no dia 31 de julho de 1994.

Duplantis já tinha o recorde geral em provas de salto com vara, de 6,18 metros, obtida em fevereiro deste ano na Escócia em uma prova realizada em uma instalação fechada.

Desta forma, o sueco possui tanto o recorde de provas indoor como outdoor, encerrando uma polêmica que cercava a modalidade. “Queria ser o melhor do mundo ao ar livre com 6,15 metros, para que não houvesse mais confusão. Agora tenho os melhores saltos indoor e outdoor”, declarou Duplantis.

 

 

 

*Por Agência Brasil

RIO DE JANEIRO/RJ - Duas vezes medalhista de prata olímpica (2004 e 2008) e vice-campeã mundial (2007), a seleção brasileira de futebol feminino ainda busca uma grande conquista fora do continente, onde já é tricampeã nos Jogos Pan-Americanos e hepta da Copa América. O que não significa que a equipe não esteja entre as melhores equipes do mundo na modalidade.

“A gente incomoda muito essas seleções [potências] e já ganhamos delas. O Brasil está entre os melhores. Todo mundo quer jogar com a gente. Estamos no top 10 do ranking [da Fifa]. Somos uma grande seleção, estamos caminhando para estar cada vez mais [perto] do topo. Somos o país do futebol. A comissão da Pia [Sundhage, técnica] está trazendo ainda mais essa gana, que a gente já tinha”, afirmou a meia Camilinha, em entrevista coletiva na Granja Comary, em Teresópolis (RJ).

Em dezembro do ano passado, após cinco vitórias e dois empates nos sete primeiros jogos sob comando de Pia Sundhage, a seleção brasileira de futebol feminino recuperou um posto entre as 10 primeiras do ranking da Fifa, perdido três meses antes. O Brasil avançou duas posições e acabou 2019 em nono. Os triunfos sobre Canadá (4 a 0) e Inglaterra (2 a 1), em outubro daquele ano, impulsionaram as brasileiras, que, na atualização de março de 2020, subiram mais um degrau e, atualmente, ocupam o oitavo lugar, ao lado das canadenses.

Dos sete países à frente no ranking, as brasileiras só não venceram a França até hoje. Em 10 jogos, foram cinco empates e cinco derrotas. Entre os tropeços, está o das oitavas de final da Copa do Mundo do ano passado, em que as francesas foram as anfitriãs. Apesar do gol da volante Thaísa, a seleção foi superada por 2 a 1, na prorrogação.

O Brasil também fica atrás no retrospecto contra Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra e Austrália, mas já obteve resultados emblemáticos contra alguns desses rivais. Na semifinal da Copa de 2007, na China, a seleção atropelou as norte-americanas por 4 a 0, com dois gols da atacante Marta, um da centroavante Cristiane e um gol contra da volante Leslie Osbourne. No ano seguinte, novamente no país asiático, aplicou 4 a 1 nas alemãs, na semifinal olímpica de Pequim. Além de Cristiane (duas vezes) e Marta, a meia Formiga também fez o dela.

Já contra Suécia e Holanda, que superam o Brasil no ranking, a seleção de futebol feminino tem mais vitórias que derrotas. O retrospecto também é assim ante Canadá e Coreia do Norte, que completam o top 10 da Fifa.

 

Olho no olho

Camilinha é uma das 24 convocadas para um período de treinos com a seleção, iniciado na última segunda-feira (14). Devido a restrições de viagem em razão da pandemia do novo coronavírus (covid-19), o grupo reúne atletas que atuam no Brasil. A meia, que completa 26 anos em outubro, é vinculada ao Orlando Pride, dos Estados Unidos, mas está emprestada ao Palmeiras até o fim do ano.

“Particularmente, estou me sentindo muito melhor [fisicamente]. Nos Estados Unidos, ainda não estava em atividade, e aqui, de repente, já foram três jogos em sete dias. É um pouco puxado, fica a perna pesada. Você tem um dia de treino, um de viagem, e no outro dia joga. É uma rotina um pouco corrida, mas temos que nos adaptar. Estou melhorando aos poucos”, disse a meia, que foi titular nas quatro partidas que disputou pelo Verdão pela Série A1 (primeira divisão) do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino.

“O nível [do campeonato] está bem diferente de quando eu saí [em 2016]. As coisas melhoraram muito, tanto em questão de estrutura como dentro de campo. As meninas estão se adaptando a esse retorno muito bem e os jogos têm sido de alto nível”, opinou a jogadora, que também atuou por Kindermann, Ferroviária, Tiradentes e pela parceria Audax/Corinthians.

Na Granja Comary, Camilinha trabalha pela primeira vez com Pia Sundhage. Apesar do contato recente, a meia já identificou características que a técnica sueca pretende aprimorar na seleção brasileira. “Ela está ensinando a nos comunicarmos mais, olhar mais uma para outra, identificar nos olhos da pessoa o que ela fará. Estamos dando um valor maior a isso e tem feito diferença nos treinos”, concluiu.

 

 

*Por Lincoln Chaves - Repórter da TV Brasil e da Rádio Nacional

*AGÊNCIA BRASIL

Fim da novela mais demorada desta janela de transferências na Europa. Depois de conquistar a última Champions League em agosto com a camisa do Bayern de Munique, Thiago Alcântara já tem um novo destino: o Liverpool.

A informação é do The Athletic, que garante em ainda nesta quinta-feira será feito o anúncio oficial pelos envolvidos. Cotado também no Barcelona nas últimas semanas, Thiago fechou com a equipe de Jurgen Klopp por 30 milhões de euros.

 

As negociações tomaram um rumo mais objetivo na segunda-feira, depois que os dirigentes do Bayern deixaram claro que queriam um acordo concluído antes do início da temporada da Bundesliga, que começa amanhã com o campeão europeu recebendo o Schalke.

Thiago havia negociado uma extensão de contrato em maio, mas mudou de ideia pouco antes de assinar, dizendo ao Bayern que queria um "novo desafio" em sua carreira. Desde então, o Liverpool era visto como o destino ideal, que acabou se concretizando.

 

 

*Por:  Rodrigo Salomao / 90MIN.com

BRASÍLIA/DF - O campeão do circuito mundial de surfe de 2015, Adriano de Souza, o Mineirinho, anunciou nesta última quarta-feira (16) a aposentadoria do esporte profissional.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

O-B-R-I-G-A-D-O ??! Quero agradecer a tudo e a todos, pela linda trajetória até aqui. Fãs, amigos e familiares, vejo vocês em 2021 para celebrar, torcer e vibrar junto comigo, o meu último ano competindo o circuito mundial da @wsl. Vem 2021!!! #VALEUMINEIRO Valeu a @hdoficial @redbullbr @oi_oficial @mundomit @chilli_surfboards @bananawax @minikalzone @construtoranossolar @protetorbrazinco ❤️? // THANK YOU! I would like to thank each and everyone that has followed mu journey until now. Fans, friends & family, I will wait for all of you in 2021 to celebrate and cheer ond my final as a competitor on the @wsl championship tour. See you all next year! #VALEUMINEIRO

Uma publicação compartilhada por Adriano De Souza (@adrianodesouza) em

Em entrevista coletiva virtual concedida na tarde desta quarta, o atleta de 33 anos disse que 2021 será o último ano no qual participará do circuito mundial da modalidade: “Foi uma decisão tomada com base em alguns pilares. Já são 15 anos na elite do circuito. Aos poucos, a pessoa vai cansando. Particularmente, não consigo ficar para sempre entre os melhores. Por isso, a minha escolha foi tentar sair em alta. Quero que todos tenham a lembrança do Mineirinho competindo em alta performance”.

A temporada de 2019 foi bastante complicada para o atleta. Ele passou muito tempo longe do mar se recuperando de uma lesão no joelho. Junto com isso, veio um início de 2020 um pouco atribulado, no qual o surfista não alcançou os resultados esperados. Depois, a pandemia do novo coronavírus (covid-19) pode ter sido a gota d´água: “O ano de 2019 foi muito difícil. Quando estava entrando novamente no cenário de competição, acabei me machucando novamente. Voltei em janeiro desse ano. Iniciei na Austrália em dois WQS e depois veio a pandemia. O meu desejo, anteriormente, era encerrar minha carreira agora em 2020. Depois do título em 2015, tinha definido essa meta. Me esforcei ao máximo para aproveitar esse período. Mas, com tudo o que aconteceu, acho que é a coisa mais correta a fazer. Oferecer mais um ano de surfe para as pessoas que gostam de mim”.

Na entrevista, o surfista também falou de suas referências no início da carreira, e reconheceu o papel que tem como ídolo para a nova geração: “Os atletas vivem de referências. Quando entrei no circuito, tinha três grandes nomes que serviram de inspiração para mim, Vitor Ribas, Fábio Gouveia e Neco Padaratz. Lutei muito para superá-los. Depois do meu título em 2015, vieram outros grandes surfistas brasileiros. Tem o Ítalo Ferreira, campeão do ano passado. Mas agora todo mundo quer superar o Gabriel Medina, que tem dois títulos. O esporte é assim mesmo. O atleta sempre vai deixar algo e outros vão vir e ultrapassá-lo”.

O atleta, nascido no Guarujá, litoral sul de São Paulo, começou a surfar aos oito anos. Com talento comprovado desde muito cedo, aos dezoito o surfista já integrava a elite do surfe mundial. A agenda preenchida integralmente com treinos, viagens e competições impediu que Adriano realizasse completamente desejos e projetos pessoais, que ficaram em segundo plano. Nessa nova fase, o surfista avalia que é o momento de realizar sonhos antigos, sempre conectados ao esporte: “Todos esses anos foram extremamente desgastantes. Principalmente, depois da conquista do Mundial. E eu não consegui reencontrar aquele sentimento de alegria e felicidade. Principalmente, aquilo que sinto quando estou pegando onda com meu irmão, por exemplo. Acredito que, após o final da temporada de 2021, vou ter mais tempo, mais liberdade com as pessoas que amo. Acho que tudo isso vai me fazer uma pessoa melhor e mais feliz. Pretendo ainda participar de alguns campeonatos especiais ao redor do mundo, mas sem tanta pressão. Não quero mais nada de WSL. Acredito que, a partir de 2021, esse peso de precisar alcançar uma boa performance sairá das minhas costas, e conseguirei realizar coisas que tanto desejo”.

Com o intuito de encerrar esse ciclo de forma especial, Adriano pretende levar muita energia à sua última temporada no circuito, na qual participará de todas as etapas da WSL: “Meu objetivo é fazer o circuito inteiro, pois tenho muitos amigos em todas as etapas, e não quero me despedir pela metade. Estou com grandes expectativas, principalmente para Saquarema, pois acredito que será muito intenso. Imagina só, quinze anos estando sempre no mesmo evento, público com grandes expectativas sobre minha performance. Vai ser muito legal, acho que essa sensação de despedida trará grandes expectativas e uma nova energia”.

 

 

*Por Juliano Justo - Repórter da TV Brasil e da Rádio Nacional

*AGÊNCIA BRASIL

MUNDO - O Palmeiras retomou a disputa da Copa Libertadores de maneira bem-sucedida na noite desta quarta-feira. Com um golaço de Gabriel Menino, o time alviverde alviverde venceu o Bolívar por 2 a 1 e, apesar da altitude de La Paz, conseguiu manter os 100% de aproveitamento no torneio.

Com três vitórias em três rodadas, o Palmeiras contabiliza nove pontos ganhos e figura na liderança do Grupo B da Copa Libertadores. Bolívar e Guaraní têm os mesmos três pontos e o time paraguaio ainda entra em campo para encarar o Tigre na noite de quinta-feira.

Às 16 horas (de Brasília) deste domingo, pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Palmeiras volta a campo para encarar o Grêmio, em Porto Alegre. Pela quarta rodada da Copa Libertadores, às 21h30 da próxima quarta-feira, o rival é o Guaraní, no Estádio Defensores Del Chaco.

O Jogo – O Palmeiras conseguiu testar o goleiro Rojas logo nos primeiros minutos da partida disputada nos 3.640m de La Paz. Rony bateu da esquerda e o meia Raphael Veiga arriscou duas vezes de fora da área, com todos os chutes defendidos pelo arqueiro rival.

O Palmeiras inaugurou o marcador aos 33 minutos do primeiro tempo. Posicionado pela esquerda, Rony conseguiu alcançar lançamento de Marcos Rocha e sofreu pênalti de Jusino. Na cobrança, Willian bateu no canto direito de Rojas e colocou o time visitante em vantagem.

Durante o primeiro tempo, o Bolívar procurou se aproximar do gol adversário por meio de bolas cruzadas dentro da área, sem grande trabalho a Weverton. O time da casa chegou a subir com perigo pela direita, mas a arbitragem marcou impedimento de forma duvidosa.

O Bolívar atacou algumas vezes pelo lado esquerdo no começo do segundo, mas o Palmeiras conseguiu ampliar sua vantagem aos 14 minutos. Gabriel Menino recebeu de Rony e, da intermediária, bateu forte para marcar um golaço, no ângulo direito de Rojas.

A equipe boliviana diminuiu a diferença no marcador aos 21 minutos da etapa complementar. Em cobrança de escanteio pela direita, Saavedra levantou a bola dentro da área palmeirense. Gutierrez desviou na primeira trave e Riquelme, de cabeça, completou para dentro.

O Bolívar aumentou seu volume de jogo e, apostando nos cruzamentos, chegou a acuar o Palmeiras no campo de defesa. Com Vitor Hugo no lugar de Willian, o desgastado time alviverde sofreu nos minutos finais, mas conseguiu segurar a vitória. Nos acréscimos, em cobrança de falta, Gustavo Scarpa ainda certou o travessão.

 

 

*Por: GAZETA ESPORTIVA

MUNDO - O Benfica foi eliminado na terceira rodada pré-eliminatória da Liga dos Campeões após uma surpreendente derrota de 2 a 1 para o PAOK Salonika (Grécia), nesta terça-feira (15), em partida com um gol do sérvio Andrija Zivkovic contra seu ex-clube apenas uma semana depois de deixá-lo.

O time comandando pelo ex-técnico do Flamengo Jorge Jesus viu as amarguras da temporada passada transbordarem para o período atual, quando Zivkovic, que passou quatro temporadas difíceis em Portugal, castigou o ex-clube.

O Benfica, que venceu a principal competição de clubes da Europa em 1961 e 1962, perdeu uma série de oportunidades diante do PAOK em um primeiro tempo de domínio de apenas um lado, já que a equipe portuguesa tinha 72% da posse de bola. Mas o time de Jorge Jesus foi castigado pelo gol de Dimitrios Giannoulis, que abriu o placar aos 18 minutos do segundo tempo.

Zivkovic ampliou para 2 a 0 aos 30 minutos da etapa final, e o gol de Rafa Silva nos acréscimos não foi suficiente para o time visitante.

 

 

*Por Zoran Milosavljevic - Repórter da Reuters

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Setembro 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30