fbpx

Realizar Acesso

Usuário *
Senha *
Lembrar
 

PORTO ALEGRE/RS - O Palmeiras depende de um empate para conquistar o tetracampeonato da Copa do Brasil. Na primeira final, disputada na noite deste domingo, o time alviverde contou com gol de Gustavo Gomez na Arena do Grêmio para bater a equipe mandante por 1 a 0, apesar da expulsão de Luan.

Com o resultado, o Palmeiras garante o título com um empate na segunda final, enquanto vitória simples do Grêmio leva aos pênaltis – na Copa do Brasil, não há gol qualificado. O confronto decisivo está marcado para as 18 horas (de Brasília) de domingo, no Allianz Parque.

Pela segunda rodada do Campeonato Paulista, com um time reserva, o Palmeiras entra em campo para enfrentar o arquirrival Corinthians às 19 horas desta quarta-feira, na Neo Química Arena. Ao mesmo tempo, pela segunda rodada do Gaúcho, o Grêmio encara o Brasil de Pelotas, novamente em sua arena.

O Jogo – O primeiro tempo foi de chances escassas até os 31 minutos do primeiro tempo, quando o Palmeiras conseguiu inaugurar o marcador. Raphael Veiga cobrou escanteio pelo lado direito e Gustavo Gomez subiu sozinho para cabecear firme. Na tentativa de defender, Paulo Victor espalmou para dentro do gol.

Com dificuldades para articular boas jogadas no campo de ataque, o Grêmio no primeiro tempo levou perigo apenas em chute da entrada da área. Alisson ajeitou para a perna esquerda e, diante da marcação de Gustavo Gomez, bateu forte. Weverton saltou para defender, mas a bola passou por cima do gol.

O Palmeiras desperdiçou uma grande chance de ampliar no final do primeiro tempo. Após belo passe de Raphael Veiga, Luiz Adriano escapou de Paulo Miranda e, livre, chutou por cima do gol. O assistente assinalou impedimento, mas o centroavante estava em posição legal.

Continua depois da publicidade

O time alviverde manteve a superioridade e voltou a desperdiçar uma boa oportunidade no começo da etapa complementar. Em linda jogada pela esquerda, Raphael Veiga colocou a bola entre as pernas de Paulo Miranda e cruzou. Livre, Rony tocou por cima do gol.

Aos 18 minutos do segundo tempo, com o jogo dominado pelo Palmeiras, Luan tinha o controle da bola e, inexplicavelmente, deu uma cotovelada em Diego Souza, que ficou com o rosto sangrando. Após ver seu zagueiro receber o cartão vermelho, Abel Ferreira trocou Raphael Veiga e Wesley por Gabriel Menino e Alan Empereur.

Renato Gaúcho, por sua vez, substituiu Victor Ferraz e Maicon por Churin e Ferreira. Com Ferreira pela direita e dois centroavantes dentro da área, o Grêmio aumentou seu volume e ficou limitado aos cruzamentos. Mesmo acuado na defesa, sem referência desde a saída de Luiz Adriano, o Palmeiras conseguiu segurar o resultado favorável.

 

 

*Por: GAZETA ESPORTIVA

EUA - Aos poucos, o cenário do peso-palha (52 kg) do UFC fica claro. A organização planeja realizar um duelo envolvendo Carla Esparza, ex-campeã da da categoria, e Yan Xiaonan, número três no ranking, para o evento que acontece no dia 22 de maio, ainda sem local definido. A informação foi divulgada pelo site 'MMA DNA'. A imprensa especializada especula que a vencedora do confronto pode se tornar a próxima desafiante da divisão.

Carla Esparza tem um passado glorioso no peso-palha. A americana foi a primeira campeã na história da categoria tanto no Invicta, quanto no UFC. Pelo Ultimate, 'Cookie Monster' conseguiu o feito em 2014, quando superou Rose Namajunas na final da 20ª edição do TUF. Atualmente, a atleta se encontra na quarta posição no ranking, possui quatro vitórias seguidas e vive sua melhor fase na organização. Suas mais recentes vítimas foram Alexa Grasso, Marina Rodriguez, Michelle Waterson e Virna Jandiroba.

Continua depois da publicidade

Yan Xiaonan também vive excelente fase no MMA. A chinesa estreou no UFC em 2017 e venceu as seis lutas que disputou pela companhia. A última vitória da atleta aconteceu em novembro, quando passou por Cláudia Gadelha e adentrou o top-5 do peso-palha. Como Xiaonan é compatriota de Zhang Weili, campeã da categoria, uma possível superluta começa a habitar o imaginário de parte dos fãs.

 

 

*Por: Ag. Fight

MUNDO - A receita da Fórmula 1 sofreu um recuo de US$ 877 milhões - o equivalente a R$ 4,9 bilhões - no ano passado, diminuindo 43% em consequência da pandemia de covid-19, noticiou a proprietária Liberty Media nesta sexta-feira (26).

O rendimento foi de US$ 1,1 bilhão, menos do que os US$ 2 bilhões anteriores, em um ano que contou com 17 corridas, a maioria sem espectadores, e no qual eventos destacados, como Mônaco e Cingapura, foram cancelados.

O ano anterior teve 21 provas. Para 2020, 22 haviam sido planejadas, e em 2021, 23 estão no programa.

Continua depois da publicidade

O esporte relatou uma perda operacional anual de US$ 386 milhões, sendo que o lucro anterior foi de US$ 17 milhões, e as dez equipes compartilharam US$ 711 milhões – US$ 301 milhões a menos do que no ano anterior e uma queda de 30%.

As principais fontes de renda da F1 são taxas de promoção de corridas, acordos de transmissão, anúncios e patrocínios.

"Devido ao número reduzido de corridas, à duração da temporada e à quase ausência de público, não surpreendeu que a renda primária tenha declinado", disse o novo executivo-chefe, Stefano Domenicali.

Mas ele disse que seu antecessor, Chase Carey, deixou fundamentos robustos para um crescimento futuro e que o esporte está bem posicionado com os parceiros comerciais.

A próxima temporada começa no Barein em 28 de março.

 

 

*Por Alan Baldwin / REUTERS

RIO DE JANEIRO/RJ - O meia-atacante Claudinho foi o protagonista da premiação dos melhores jogadores do Campeonato Brasileiro, realizada na sexta-feira (26). O atleta do Red Bull Bragantino foi eleito a revelação e o craque do torneio pelos votos do colegiado de jornalistas especializados convidados pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Ao lado do atacante Luciano, do São Paulo, ele ainda recebeu o troféu de artilheiro da competição. Ambos marcaram 18 gols.

 

Claudinho também foi um dos atletas selecionados para a seleção do campeonato. O time ideal caracterizou-se por ser heterogêneo, com oito clubes representados. O bicampeão Flamengo teve eleitos o volante Gerson e o atacante Gabigol - que foi escolhido o Craque da Galera, em votação pelas redes sociais.

O vice Internacional marcou presença com o zagueiro Victor Cuesta e o volante Edenilson, além do técnico Abel Braga. Campeão da Libertadores, o Palmeiras teve o goleiro Weverton e o zagueiro Gustavo Goméz na equipe. Os laterais Fagner (Corinthians) e Guilherme Arana (Atlético-MG), o meia Vina (Ceará) e o atacante Marinho (Santos) completaram a relação dos melhores do torneio.

Continua depois da publicidade

O gol escolhido como o mais bonito foi marcado por Everton Ribeiro. No duelo contra o Fortaleza, pela oitava rodada do Brasileirão, o meio-campista do Flamengo lançou o atacante Pedro, que teve o chute defendido por Felipe Alves. No rebote, o camisa 7 deu um chapéu no goleiro do Tricolor do Pici e completou de cabeça para as redes.

A seleção ideal da Série A ficou: Weverton; Fagner, Gustavo Gómez, Victor Cuesta e Guilherme Arana; Edenilson, Gerson, Vina e Claudinho; Gabigol e Marinho. Técnico: Abel Braga.

 

Mais prêmios

O árbitro Leandro Vuaden, os auxiliares Neuza Back e Rodrigo Correia e o árbitro de vídeo (VAR) Wagner Reway foram eleitos destaques da arbitragem no Brasileirão. Segundo a CBF, a escolha do quarteto "foi definida pelos critérios técnicos de qualidade da Comissão de Arbitragem" da entidade.

O pernambucano Marivaldo Francisco da Silva, que enfrenta um caminho de 64 quilômetros - e 12 horas - a pé para acompanhar jogos do Sport, foi homenageado com o prêmio "Não é só Futebol". Em 2020, ele foi escolhido como torcedor do ano pela Federação Internacional de Futebol (Fifa). Por fim, o Atlético-MG recebeu o prêmio Fair Play por ter sido a equipe com menor número de cartões recebidos e faltas cometidas ao longo da competição.

 

 

*Por Lincoln Chaves - Repórter da TV Brasil e Rádio Nacional

*AGÊNCIA BRASIL

SÃO CARLOS/SP - Representando o prefeito Airton Garcia, o vice-prefeito Edson Ferraz e o secretário municipal de Esportes e Cultura, João Muller, receberam nesta semana a visita do secretário executivo da Secretaria de Esportes do Estado, Marcos do Santos (Chuí). Durante o encontro, o secretário atualizou o planejamento do estado em relação às atividades esportivas e dos programas disponíveis junto aos municípios.

De acordo com Chuí, no momento o estado está empenhado na imunização contra a COVID-19, mas conforme o andar da vacinação, a Secretaria de Esportes já prevê atividades como os Jogos da Juventude, Jogos Regionais, Jogos Abertos, Copinha, entre outros. “Esperamos que em alguns meses tenhamos um cenário melhor a respeito do coronavírus para retomarmos as atividades esportivas. São Carlos tem uma grande representatividade esportiva, como secretário do estado tenho a obrigação em encurtar esse relacionamento com as cidades e saber as demandas do município”, enfatizou o secretário do estado, que acrescentou que a cada duas semanas reuniões são realizadas para atualizar o atual cenário em relação as atividades esportivas.

Durante o encontro, o vice-prefeito Edson Ferraz, lembrou que na gestão do Airton Garcia atletas de todas as modalidades esportivas, independentemente da idade, receberam incentivos necessários como o termo de fomento ao esporte, transporte para as competições, passe esportivo social, o bolsa atleta e o bolsa para-atleta que aumentou de 30 para 202 esportistas, além do investimento em infraestrutura.

“Investimos muito no esporte e nossos atletas se destacaram em importantes eventos federados, de confederações e de ligas como corridas, competições, campeonatos, copas, festivais, GP’s entre outras atividades. São Carlos também já foi sede dos Jogos Regionais e também dos Jogos Abertos do Interior, vamos continuar a dar toda a atenção e incentivo aos nossos atletas”, lembrou o vice-prefeito.

Para o secretário municipal de Esportes e Cultura, João Muller, a aproximação com o estado e a atualização das atividades previstas para o pós-pandemia, irão fomentar ainda mais o esporte na cidade. “Vamos ficar atentos a imunização e as atividades esportivas programadas pelo estado, com certeza passando essa fase crítica da pandemia, iremos fomentar ainda mais as atividades esportivas na cidade e a valorização dos nossos atletas”, concluiu João Muller.

ITÁLIA - A Ferrari anunciou que retornará à elite das corridas de resistência com um hipercarro em 2023, oportunidade na qual buscará uma vitória nas 24 Horas de Le Mans pela primeira vez em 50 anos.

A escuderia italiana correu na principal categoria de Le Mans pela última vez em 1973, e suas rivais entre as grandes montadoras incluirão Toyota, Peugeot, Porsche e Audi.

A categoria hipercarro substitui a LMP1 nas corridas de resistência.

A Ferrari venceu em Le Mans nove vezes, mas nenhuma depois de 1965, quando disputou uma batalha lendária com a Ford no circuito de Sarthe, no oeste da França. Mais recentemente, a marca teve sucesso na modalidade GT, vencendo a categoria GTE Pro em 2019.

“Com o novo programa do hipercarro de Le Mans, a Ferrari volta a afirmar seu compromisso e determinação esportivos de ser uma protagonista nos grandes eventos globais de automobilismo”, disse o presidente da Ferrari, John Elkann, em um comunicado.

Continua depois da publicidade

Os nomes do carro e dos pilotos da escuderia italiana ainda não foram anunciados.

A Ferrari vem buscando outras atividades para as quais redirecionar seu pessoal agora que o teto de orçamento da Fórmula 1 entra em vigor, o que fez com que a equipe mais antiga e bem-sucedida da modalidade tivesse que cortar gastos.

Parte do pessoal técnico já foi transferido para trabalhar com a equipe Haas F1, que usa motores Ferrari e tem uma parceria próxima com Maranello.

A Ferrari também tem uma academia de pilotos próspera, e as corridas de resistência são outra arena para eles adquirirem experiência.

 

 

*Por Alan Baldwin / REUTERS

SÃO PAULO/SP - O São Paulo, enfim, garantiu vaga direta na fase de grupos da Libertadores. Recebendo o Flamengo nesta quinta-feira, no Morumbi, em jogo que valia o título para os visitantes, o Tricolor entrou em campo apostando no esquema 3-5-2, com uma postura muito mais defensiva, e a estratégia deu certo, conquistando o triunfo por 2 a 1. Luciano e Pablo balançaram as redes para os donos da casa. Bruno Henrique marcou o tento rubro-negro. Apesar do revés, o time comandado por Rogério Ceni acabou faturando o bicampeonato brasileiro.

Esse foi o primeiro título brasileiro de Rogério Ceni como treinador. Coincidentemente, o ex-goleiro se sagrou campeão justamente no palco onde se acostumou a erguer troféus e se tornou ídolo, mas agora vestindo outras cores.

O São Paulo, por sua vez, se despede do Brasileirão em quarto lugar. Depois de chegar a liderar a competição com sete pontos de vantagem para o segundo colocado, o Tricolor perdeu fôlego na reta final, trocou de treinador, mas, ao menos, manteve sua invencibilidade enfrentando Rogério Ceni. Agora são oito jogos, com seis vitórias são-paulinas e dois empates.

O jogo – O Flamengo começou o jogo dominando as ações ofensivas. Com o São Paulo retraído na defesa, o time comandado por Rogério Ceni não perdeu tempo e logo aos seis minutos quase abriu o placar. Arrascaeta cobrou escanteio, a zaga tricolor desviou de cabeça, e a bola sobrou nos pés de Gabigol, que pegou de primeira, mandando por cima da meta de Tiago Volpi, à queima-roupa. Depois, aos 12, Gustavo Henrique cabeceou cruzado, em direção ao chão, forçando o goleiro são-paulino a fazer grande defesa, mas o árbitro marcou falta do zagueiro rubro-negro, que se apoiou na marcação ao saltar.

O São Paulo só foi responder aos 18 minutos, em jogada de contra-ataque. Igor Vinícius recebeu lançamento, matou no peito já adiantando, invadindo a área, e sendo derrubado por Isla. O pênalti existiu, mas a arbitragem não deu pelo fato de Daniel Alves ter dominado a bola com o braço na origem do lance.

O Flamengo continuou com mais posse de bola, mas enfrentando dificuldades para furar o forte sistema defensivo do São Paulo, que apostou no esquema 3-5-2. Aos 33 minutos, Arrascaeta teve a chance de abrir o placar em cobrança de falta, mas bateu na barreira. No rebote, Everton Ribeiro arriscou de fora da área, mas mandou longe do gol defendido por Volpi. Antes do intervalo, os visitantes ainda tiveram mais uma chance de balançar as redes com Gabigol. Bruno Henrique desviou de cabeça após cobrança de escanteio, e o camisa 9 apareceu no segundo pau para completar, mas mandou para fora.

Quis o destino que o São Paulo, que pouco ameaçou no primeiro tempo, abrisse o placar já nos acréscimos. Tchê Tchê sofreu falta de Everton Ribeiro na entrada da área, dentro da meia-lua. Luciano foi para a cobrança e não desperdiçou, batendo forte, no cantinho, surpreendendo o goleiro Hugo Moura.

Segundo tempo

Continua depois da publicidade

Precisando da vitória a qualquer custo, o Flamengo voltou para o segundo tempo pilhado e não demorou muito para empatar a partida. Aos cinco minutos, Gustavo Henrique completou de cabeça o escanteio de Arrascaeta, e Bruno Henrique apareceu no meio do caminho para mandar para o fundo das redes, deixando tudo igual no Morumbi.

O Flamengo mal teve tempo para comemorar o empate. Aos 13, Hugo Souza rebateu a bola no peito de Daniel Alves, que deu passe açucarado para Pablo. O camisa 9 saiu frente a frente com o goleiro rubro-negro e tocou por baixo das pernas do adversário, recolocando o São Paulo em vantagem.

Aos 20 minutos, Rogério Ceni teve de tirar Gabigol, que sentiu um desconforto muscular, e acionar Pedro. E com pouco tempo o centroavante já criou uma chance de perigo. Em disputa com Bruno Alves, ele levou a melhor e cruzou na cabeça de Bruno Henrique, que completou no segundo pau, mas mandou para fora, assustando a defesa tricolor.

Nos minutos finais, o Flamengo ainda tentou de tudo para comemorar o título sem uma derrota, até porque se o Internacional marcasse um gol contra o Corinthians, o título ia por água abaixo. Mas, o Colorado não balançou as redes no Beira-Rio, e, mesmo não conseguindo evitar o revés, Rogério Ceni e seus comandados acabaram faturando o Campeonato Brasileiro.

 

 

*Por: GAZETA ESPORTIVA

EUA - A seleção brasileira de futebol feminino se despediu com vitória, e uma grande atuação no primeiro tempo, do She Believes, torneio amistoso disputado nos Estados Unidos que serve de preparação para a Olimpíada de Tóquio (Japão). Na quarta-feira (24), a equipe dirigida por Pia Sundhage bateu o Canadá por 2 a 0 no Exploria Stadium, em Orlando, pela terceira e última rodada.

Com vitórias sobre Canadá e Argentina (4 a 1) e uma derrota para os EUA (2 a 0), o Brasil leva o título da She Believes se as norte-americanas (dois triunfos) perderem das argentinas no jogo que encerra o campeonato, às 21h (horário de Brasília) desta quarta. Caso as anfitriãs vençam ou empatem, conquistam o torneio amistoso e as brasileiras ficam em segundo.

Para enfrentar as canadenses, Pia manteve a formação com três zagueiras na linha de quatro defensoras. Sem Kathellen, que sofreu uma lesão no ligamento cruzado do joelho direito, e Antônia, com um edema na coxa direita, Tainara foi escolhida para jogar na lateral direita, com Bruna Benites e Rafaelle formando a dupla central.

Continua depois da publicidade

No meio-campo, Julia Bianchi e Adriana retornaram ao time titular, que teve como principal novidade Ivana Fuso, atleta natural de Salvador, mas que defendeu as seleções de base da Alemanha, onde foi criada. Com as atacantes Bia Zaneratto e Ludmilla no banco, Marta foi adiantada para comandar o setor ofensivo com Debinha.

As mudanças surtiram efeito. As brasileiras subiram a marcação e dificultaram a saída de jogo adversária. Aos 14 minutos, Adriana desarmou a meia Jessie Fleming na intermediária, tabelou com Debinha, entrou na área pela esquerda e chutou na trave. No rebote, Debinha se antecipou à goleira Stéphanie Labbé e fez o primeiro. O segundo gol quase saiu quatro minutos depois, novamente com participação de Adriana. A jogadora do Corinthians recebeu perto da meia-lua e rolou de calcanhar para a lateral Tamires arriscar de fora, mandando a bola próximo à meta.

A pressão em cima das defensoras resultou também no segundo gol. Aos 38 minutos, após um bate-rebate na grande área, que envolveu Ivana e Marta, Julia Bianchi insistiu em cima da lateral Gabrielle Carle, desarmou-a e finalizou, ampliando o placar. Aos 41, a atacante Nichelle Prince tentou encobrir Bárbara, adiantada para afastar um lance de perigo, mas a goleira evitou o gol na única chance real do Canadá na etapa inicial. Já aos 44 minutos, o Brasil quase fez o terceiro com Adriana, que recebeu de Tamires pela esquerda e acertou o travessão, graças a um desvio de Labbé.

No segundo tempo, Pia tirou Debinha, Marta, Tamires, Tainara, Ivana e Andressinha e promoveu as entradas de Cristiane, Andressa Alves, Camilinha, Jucinara, Giovana e Bia Zaneratto, respectivamente. Com as trocas ao longo dos últimos 45 minutos, o Brasil voltou a atuar com duas zagueiras e duas laterais de ofício (ainda que Camilinha, lateral-esquerda, estivesse caindo pela direita) e passou a ter uma equipe mais alta no ataque, com duas jogadoras de área.

As mexidas em profusão, de ambos os lados, deram mais resultado para as canadenses. Ao contrário do primeiro tempo, as brasileiras se viram acuadas e quase não incomodaram no ataque. Antes anulada, a meia Janine Beckie comandou as ações ofensivas. A atacante Adriana Leon, que entrou no intervalo, deu trabalho a Camilinha. Aos 38 minutos, na melhor oportunidade das rivais (e a última da partida), Beckie acertou a trave em uma cobrança de falta e, na sobra, a zagueira Shelina Zadorsky só não marcou porque Bruna Benites salvou em cima na linha.

 

 

*Por Lincoln Chaves - Repórter da TV Brasil e da Rádio Nacional

*AGÊNCIA BRASIL

RIO DE JANEIRO/RJ - O técnico da seleção brasileira masculina de handebol, Marcus Tatá, convocou, na terça-feira (23), a equipe para o pré-olímpico da modalidade. Foram chamados 20 jogadores. As novidades no grupo em relação à equipe que deixou o país na 18ª posição no Mundial de janeiro, no Egito, são o lateral-direito Arthur Pereira, na vaga do lesionado José Toledo, e o pivô Tchê.

O qualificatório olímpico está marcado para ocorrer entre os dias 12 e 14 de março. Inicialmente, a sede do torneio seria a Noruega. Mas, por restrições impostas pela pandemia do coronavírus (covid-19), o país abriu mão de receber o torneio. Até o momento, a nova sede ainda não foi divulgada. O Brasil pega Noruega, Chile e Coreia do Sul. No quadrangular, os concorrentes se enfrentam entre si em turno único em busca de uma das duas vagas na Olimpíada de Tóquio.

Continua depois da publicidade

Jogadores convocados

Goleiros: Ferrugem (BM Benidorm, Espanha), César “Bombom” (Fenix Toulouse, França) e Rangel da Rosa (BM Logroño, Espanha).

Pontas-direitas: Fábio Chiuffa (HC Dobrogea, Romênia) e Rudolph Hackbarth (BM Logroño, Espanha).

Laterais esquerdos: Thiagus Petrus (Barcelona, Espanha), Haniel Langaro (Barcelona, Espanha), Leo Dutra (Wisla Plock, Polônia), Thiago Ponciano (BM Cuenca, Espanha) e Luciano Silva (Benfica, Portugal).

Centrais: Pedro Pacheco (Tatran Presov, Eslováquia), Henrique Teixeira (CSM Bucaresti, Romênia) e João Silva (BM Puente Genil, Espanha).

Laterais direitos: Arthur Pereira (BM Guadalajara, Espanha) e Gustavo Rodrigues (Pontault Combault, França).

Pontas-esquerdas: Felipe Borges (US Créteil, França) e Guilherme Torriani (Taubaté, Brasil).

Pivôs: Rogério Moraes (Veszprém, Hungria), Vinicius Teixeira (Taubaté, Brasil) e Alex Pozzer “Tchê” (Puerto Sagunto, Espanha).

 

 

 

*Por Juliano Justo - Repórter da TV Brasil e da Rádio Nacional

*Agência Brasil

ITÁLIA - O atacante polonês Robert Lewandowski se tornou o terceiro maior artilheiro da história da Liga dos Campeões na última terça-feira (23), quando o atual campeão Bayern de Munique (Alemanha) colocou um pé nas quartas de final da competição após golear a Lazio (Itália), em pleno estádio Olímpico de Roma, por 4 a 1 na ida das oitavas.

O artilheiro aproveitou vacilo da defesa para abrir o placar aos 9 minutos do primeiro, chegando a seu 72º gol na competição.

Continua depois da publicidade

Ao fazer isso, ele ultrapassou o ex-atacante do Real Madrid (Espanha) Raúl na lista de artilheiros da competição, e só fica atrás do português Cristiano Ronaldo, da Juventus (Itália), com 134 gols, e do argentino Lionel Messi, do Barcelona (Espanha), com 119.

O meia Jamal Musiala, de 17 anos, aumentou a vantagem com um arremate certeiro, enquanto Leroy Sané fez o terceiro antes do intervalo.

Um gol contra de Francesco Acerbi aumentou a vantagem dos visitantes no início da segunda etapa, mas Joaquin Correa diminuiu para a Lazio, cuja invencibilidade na competição chegou ao fim.

Esta foi a 18ª partida consecutiva do Bayern sem derrota na Liga dos Campeões, sendo 17 vitórias.

 

 

*Por Alasdair Mackenzie / REUTERS

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Março 2021 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31        

Comércio e Serviços em Geral