fbpx

Realizar Acesso

Usuário *
Senha *
Lembrar
 

BRASÍLIA/DF - Novo sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central (BC), previsto para começar a funcionar em novembro, o Pix entrará oficialmente em teste nesta segunda-feira (5). A partir de hoje, os clientes poderão registrar as chaves digitais de endereçamento para enviar ou receber recursos em 644 instituições financeiras.

Segundo o BC, as chaves são o “método fácil e ágil” de identificação do recebedor. Desta forma, o pagador não precisará de dados como número da instituição, agência e conta para fazer uma transferência.

Para cadastrar a chave, basta acessar o aplicativo da instituição em que tem conta e fazer o registro, vinculando a uma conta específica uma das três informações: número de telefone celular, e-mail ou CPF/CNPJ. As informações serão armazenadas em uma plataforma tecnológica desenvolvida e operada pelo BC, chamada Diretório Identificador de Contas Transacionais (DICT), um dos componentes do Pix.

Anteriormente previsto para iniciar em 3 de novembro, o registro das Chaves Pix foi antecipado para que os clientes e as instituições tenham mais tempo para se familiarizar com o novo sistema. Estarão disponíveis antecipadamente todas as funcionalidades para a gestão das chaves, como registro, exclusão, alteração, reivindicação de posse e portabilidade. As regras específicas constam de regulamento publicado pelo BC em agosto.

Neste período antecipado, a participação das instituições financeiras e de pagamentos no registro das chaves ocorre de forma facultativa. O único pré-requisito exigido é a conclusão bem-sucedida da etapa de homologação.

 

Operação

O Pix funcionará 24 horas por dia e reduzirá para 10 segundos o tempo de liquidação de pagamentos entre estabelecimentos com conta em bancos e instituições diferentes. As transações poderão ser feitas por meio de QR Code (versão avançada do código de barras lida pela câmera do celular) ou com base na chave cadastrada.

A nova ferramenta trará agilidade em relação a sistemas atuais de pagamento, como a transferência eletrônica disponível (TED), que leva até duas horas para ser compensada, e o documento de ordem de crédito (DOC), liquidado apenas no dia útil seguinte.

No caso de empresas, a plataforma traz vantagens em relação ao pagamento por cartão de débito. Isso porque o consumidor pagante não precisará ter conta em banco, como ocorre com os cartões. Bastará abastecer a carteira digital do Pix para enviar e receber dinheiro.

 

Cronograma

5 de outubro: Início do processo de registro de chaves de endereçamento

3 de novembro: Início da operação restrita do Pix

16 de novembro: Lançamento do Pix para toda a população

 

 

 

Por Wellton Máximo* - Repórter da Agência Brasil

*Colaborou Kelly Oliveira

MUNDO - Edgar Vivar, intérprete do Sr. Barriga em “Chaves”, revelou porque “Chavez” saiu do ar no último fim de semana em todo o mundo.

Em entrevista a uma rádio mexicana no domingo (2/8), o ator de 71 anos afirmou que Roberto Bolaños, criador e intérprete de Chaves, estipulou que suas séries pertenceriam à empresa de televisão Televisa até julho de 2020. Após esta data, os direitos passariam a ser exclusivamente do comediante e de seus herdeiros. Mas a Televisa só aceitou continuar exibindo “Chaves” de graça.

“Roberto Gómez Bolaños tinha apalavrado um contrato de usufruto dos personagens e de sua criação literária até 30 de julho deste ano, quase seis anos depois de sua morte. E não renovaram os direitos, a Televisa não quis pagar”, disse Vivar.

Assim, o “cancelamento” mundial das reprises aconteceu após a suspensão dos direitos de exibição dos programas. A Televisa era responsável pelas negociações internacionais e os contratos perderam validade após ela deixar de possuir os programas.

Em seu comunicado sobre o “cancelamento” das reprises, a Televisa mencionou apenas um “problema pendente” não divulgado.

Graciela Gómez, filha de Bolaños, também se manifestou para reclamar da falta de consideração da maior emissora de TV hispânica com o legado de seu pai. “É uma pena que quem mais se beneficiou dos programas de ‘Chaves’ afirme hoje que não valem mais nada”.

Após a morte de Bolaños, a revista Forbes estimou que “Chaves” tinha rendido cerca de US$ 1,7 bilhão para a Televisiva até 2014.

Diante disso, a situação deve mudar com novas negociações com outros interessados na série. “Embora estejamos tristes pela decisão, minha família e eu esperamos que ‘Chaves’ esteja em breve nas telas do mundo. Continuaremos insistindo e estou certo de que conseguiremos”, escreveu outro herdeiro de Bolaños, Roberto Gómez Ferán, em sua conta do Twitter.

 

 

*Por: Marcel Plasse / PIPOCA MODERNA

SÃO PAULO/SP - Os fãs de Chaves e Chapolin, exibidos desde 1984 no SBT, criaram um abaixo-assinado em um site pedindo a volta da atração. O humorístico deixou de ser exibido desde sábado, 1º. Segundo um comunicado do SBT, a Televisa notificou a emissora dizendo que a suspensão “é devido a um problema pendente a ser resolvido com o titular dos direitos das histórias”.

O texto do abaixo-assinado diz que os fãs receberam a notícia com consternação e indignação e pedem que o imbróglio seja resolvido da forma mais rápida possível. O programa também chegou a ser exibido no Multishow e no Amazon Prime Video. “Com esse impasse, não teremos mais as séries em exibição em nenhum local pela primeira vez em 36 anos. Uma história de enorme sucesso interrompida por uma disputa de bastidores, em que o maior prejudicado é o fã, limitado de poder acompanhar suas séries preferidas”, diz um trecho do manifesto.

Florinda Meza, 71, viúva do criador do personagem Roberto Bolaños, morto em 2014, se manifestou nas redes sociais sobre o fim das exibições no Brasil. Ela disse que não foi chamada para participar das renegociações dos direitos autorais e que o mundo precisa de mais diversão. “Além disso, vai contra seus próprios interesses comerciais, porque, neste momento, queremos ver tudo que nos faça lembrar de um mundo que foi melhor. ‘Chespirito’ já é um programa cultuado. É parte do DNA dos latinos, e que levamos em nossa memória genética. Pretender eliminá-lo do nada é uma medida pouco inteligente”, escreveu.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

¿Qué opino de que se deje de transmitir el programa Chespirito? Aunque no tengo nada que ver porque inexplicablemente no he sido convocada a las negociaciones, creo que justo ahora, cuando el mundo más necesita diversión, hacer eso es una agresión hacia la gente. Además, va en contra de sus propios intereses comerciales, porque en este momento queremos ver todo aquello que nos recuerde un mundo que fue mejor. Chespirito ya es un programa de culto. Es parte del ADN de los latinos, lo llevamos en la memoria genética. Pretender eliminarlo de tajo es una medida poco inteligente. Es triste comprobar cómo en tu propia casa, a la que le has dado millones de dólares, es dónde menos te valoran. Nunca pensé que me llegara a suceder, pero por primera vez encuentro una razón para decir ¡qué bueno que mi Rober no está en este mundo! Este acto incomprensible patea su recuerdo y lo que él más respetó: al público. Tal vez algunos ejecutivos sin visión lo quieren borrar, pero en el corazón y la memoria de los buenos que siempre lo han seguido, estará más vivo que nunca. ¿Verdad que sí? #quevuelvaChespirito #Chespiritoesnuestro #labonitavecindadvirtual

Uma publicação compartilhada por Florinda Meza (@florindamezach1) em

 

*Por: Felipe Branco Cruz / VEJA.com

SÃO PAULO/SP - Essa ninguém esperava. A partir deste sábado, 1º de agosto, o SBT não estará mais autorizado a exibir os seriados do “Chaves”, que desde sempre passaram a ocupar espaços na sua programação.

Acontece o seguinte: o contrato com a Televisa, que é dona da “lata” foi renovado até 31 de dezembro, porém há uns três meses, veio a comunicação que o compromisso com a empresa “Chespirito”, dona dos textos, iria expirar em 31 de julho.

No começo deste mês, em uma nova conversa, a Televisa informou que já teria contornado o problema e que o anteriormente combinado prevaleceria até 31 de dezembro.

Só que toda essa questão, na quarta-feira agora, se modificou novamente, com a chegada de um novo aviso, informando que a exibição teria que ser interrompida já a partir deste sábado. 

Roberto Gómez Fernandez, filho do Bolaños, é quem está à frente da “Chespirito” e há a desconfiança de que ele estaria negociando esses direitos com alguma empresa de streaming.

E como isso, além do SBT está acontecendo com outras tantas TVs do mundo, especula-se que esse acerto deve ser com a Netflix.

O SBT está para soltar um comunicado informando tudo isso.

 

Comunicado do SBT

 

São Paulo, 31 de julho de 2020 – A partir deste sábado, 01 de agosto, o SBT deixará de exibir o seriado Chaves. A informação chegou à emissora nesta última quarta-feira (29/07), por notificação da Televisa, emissora mexicana detentora dos direitos da obra produzida, na qual informa que a suspensão é devida a um problema pendente a ser resolvido com o titular dos direitos das histórias. A exibição dos seriados Chaves, Chapolin e Chespirito estaria garantida até 31/07/2020, com possibilidade de renovação entre as partes, o que verbalmente havida sido confirmado. No entanto, a negativa em relação ao acordo com o grupo detentor de direitos intelectuais sobre as histórias, chegou a apenas poucos dias do fim do contrato. O SBT lamenta a decisão, principalmente em respeito ao seu público, que acompanha fielmente os seriados há tantos anos na emissora. A emissora continua na torcida para um acordo entre as duas empresas mexicanas o mais rápido possível e, se isto acontecer, teremos o prazer de informar aos fãs de Chaves, Chapolin e Chespirito, imediatamente.

 

 

*Por: Flavio Ricco / R7

SÃO PAULO/SP - O canal Multishow anunciou que não exibirá mais os seriados Chaves e Chapolin. O anúncio foi feito em vinhetas durante a programação que começaram a ser divulgadas no último sábado, 17.

Por conta do fim dos direitos de exibição, haverá uma maratona com os episódios exclusivos do canal no Brasil, que serão exibidos à 0h e às 18h30 de segunda a sexta-feira.

O vídeo que anuncia o fim de Chaves e Chapolin no canal deixa em aberto um possível retorno dos seriados no futuro: "Se quiser, não precisa ir embora. O Multishow está sempre de portas abertas para você".

 

Chaves no Multishow

O Multishow anunciou ter adquirido os direitos de Chaves e Chapolin no fim de janeiro de 2018. O fato gerou até uma campanha em tom de piada por parte do SBT, que exibe os seriados há mais de três décadas.

Entre os episódios adquiridos pelo canal ligado à Globo, estavam alguns que nunca tinham sido exibidos antes na TV brasileira, e por isso eram considerados inéditos ou exclusivos.

 

 

*Por: ESTADÃO

Benfeitoria é uma parceria entre Prefeitura, Governo Estadual e Caixa Econômica Federal

 

DOURADO/SP - Por meio da Secretaria de Estado da Habitação foram entregues 100 casas na cidade de Dourado, região Central do Estado, nesta última quinta-feira, 23 de abril. Para evitar aglomerações, a assinatura dos contratos e a entrega das chaves se deu de forma administrativa, no Centro Juvenil São Domingos Savio, entre 9h30 e 13h00. O diretor de Atendimento Habitacional da CDHU, Marcelo Hercolin, esteve presente para orientar os futuros moradores e esclarecer dúvidas.

Foram adotadas diversas medidas sanitárias necessárias para impedir a disseminação da Covid-19, como atendimento escalonado com hora marcada, assinatura de contratos em mesas separadas, com distância superior a dois metros e entrega das chaves para apenas dois representantes de cada família contemplada. Álcool em gel e máscaras também foram distribuídos no local. “Com essa medida, seguimos a orientação do Centro de Contingência do coronavírus do Estado, no sentido de evitar aglomerações de pessoas”, explica do secretário da Habitação, Flavio Amary.

O empreendimento foi viabilizado pela CDHU, que repassou o terreno doado pela Prefeitura à Caixa Econômica Federal e fez o sorteio das unidades, em maio de 2019. A Secretaria de Estado da Habitação aportou, por meio da agência Casa Paulista, R$ 3,3 milhões nas moradias. O banco federal aplicou R$ 6,7 milhões e foi responsável pela licitação e acompanhamento das obras.  O investimento total na obra foi de R$ 10 milhões.

A diarista Juliana Cristina da Silva, 40 anos, é uma das contempladas com uma casa no novo conjunto habitacional. Mãe de um filho autista, ela não consegue trabalhar em período integral. Juliana compromete quase toda a renda com moradia e paga R$ 400,00 no aluguel de uma casa no centro da cidade. Agora, vai investir em um imóvel próprio. “Se não fosse por esse programa, jamais conquistaria uma casa própria. Para mim, isso significa o começo de uma nova vida”, conta emocionada.

As moradias são destinadas às famílias com renda mensal até R$ 1.800. Elas têm até 120 meses para quitar o imóvel, sendo que as prestações variam entre R$ 80,00 e R$ 270,00 por mês.

Com 48,82 m² de área construída, as casas têm dois dormitórios, sala, cozinha, banheiro e área de serviço. As unidades respeitam e incorporam as melhorias estabelecidas como diretrizes de qualidade pela CDHU, como pisos cerâmicos com rodapé e laje de concreto em todos os cômodos, azulejos nas paredes hidráulicas, muro de divisa entre os lotes e placas fotovoltaicas que transforam a luz solar em energia elétrica e reduz o valor da conta de consumo. O empreendimento conta com infraestrutura completa, além de playgroud, quadra poliesportiva e paisagismo.

 

*Por: Renato Rosalin (Maradona)

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Outubro 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31