fbpx

Realizar Acesso

Usuário *
Senha *
Lembrar
 

SÃO PAULO/SP - O aumento da alíquota do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para venda de veículos usados no estado de São Paulo pode provocar fechamento de lojas e demissões, dizem as entidades que representam o setor.

“Isso é desemprego, fechamento de lojas, tudo o que o país não precisa”, afirmou o diretor executivo da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), Marcelo Franciulli, em entrevista coletiva da entidade junto com outras organizações que representam a cadeia de venda e produção de veículos.

A partir de sexta-feira (15), as revendedoras deverão pagar alíquota de 5,5% sobre o valor de venda dos veículos usados. O valor atual é de 1,8%. Em abril, a alíquota deverá ser reajustada para 3,9%.

No caso de veículos novos, o imposto passa de 12% para 13,3%.

 

Ajuste fiscal

Segundo o governo de São Paulo, a medida é necessária para reequilibrar o orçamento devido às perdas de arrecadação com a pandemia do novo coronavírus. “O objetivo do ajuste fiscal é proporcionar ao Estado recursos para fazer frente às perdas causadas pela pandemia”, diz nota divulgada pelo governo estadual.

“A medida, garantida pela Constituição, é necessária. O governo de São Paulo segue aberto ao diálogo e tem realizado reuniões com os representantes dos diversos setores”, acrescenta o comunicado.

 

Sem margem

Para Franciulli, a alíquota reduzida para a venda de veículos usados não é um benefício ou renúncia fiscal, mas uma medida para ajustar os impostos do setor. “O setor quer pagar impostos, mas pagar de forma justa. Nós desconhecemos outro tipo de bem usado que paga imposto”, disse.

Franciulli destacou ainda que a margem de lucro das concessionárias com a venda de usados fica em torno de 8% a 10% e estaria fortemente comprometida com o reajuste do ICMS. Ele lembrou ainda que os usados são importantes nas negociações de veículos novos, sendo usados para a compra dos novos. “O concessionário autorizado, sem os veículos usados, não fecha as contas. O usado hoje é fundamental”, ressaltou.

Participaram também do encontro virtual com jornalistas representantes da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo); da Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores (Abeifa); da Associação Comercial de São Paulo; do Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos no Estado de São Paulo; da Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores.

Os empresários buscam formas de sensibilizar o governo de São Paulo para reverter o reajuste.

 

 

*Por Daniel Mello – Repórter da Agência Brasil

MUNDO - A Volkswagen fará o recall de 56.000 de seus modelos de golfe mais vendidos para consertar problemas de software que afetam o sistema de infoentretenimento e a câmera de ré, disse a empresa alemã na terça-feira.

A correção afeta os veículos da mais recente série Golf 8, feitos até julho de 2020, disse um porta-voz. Ele acrescentou que o recall não é obrigatório, mas é uma “medida de serviço voluntário”.

A Volkswagen teve que adiar o lançamento do Golf 8 devido a problemas de software no ano passado.

Suas ações caíram 1,6% em 1012 GMT, tornando-se o maior perdedor percentual no índice DAX da Alemanha.

 

 

 

*Reportagem de Jan Schwartz; / REUTERS

SÃO PAULO/SP - O Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) ficará mais barato em São Paulo em 2021. A tabela de valores venais registra queda nominal de 6,77%, em média, nos preços de venda praticados no varejo, segundo levantamento feito pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). A tabela foi publicada pela Secretaria da Fazenda e Planejamento na quinta-feira (17), numa edição suplementar do Diário Oficial do Estado (DOE). O calendário de vencimentos do imposto já está definido e será publicado no DOE nos próximos dias (veja as tabelas completas abaixo).

O levantamento da Fipe é referente a 12.046 modelos e versões de veículos de todas as marcas. A pesquisa, baseada nos valores de mercado de setembro de 2020, comparada ao mesmo período de 2019, identificou maior queda de preços de venda para automóveis, que apresentam recuo de 7,43%. As camionetas e utilitários tiveram queda de 6,63%, seguidos de motos, com redução de 5,52%. Os preços de venda de caminhões caíram 5,09% e ônibus e microônibus fecharam 4,89% abaixo do valor apurado no ano anterior.

É possível fazer a consulta pela Faixa de IPVA, que consta no Certificado de Registro e Licenciamento do veículo, no site da Imprensa Oficial, como na imagem: imprensaoficial.com.br/suplementos/fazenda/IPVA2021/index.asp

Os proprietários de veículos movidos à gasolina e os bicombustíveis recolherão 4% sobre o valor venal. Veículos usados que utilizam exclusivamente álcool, eletricidade ou gás, ainda que combinados entre si, permanecem com a alíquota de 3%, já os veículos novos com essas mesmas especificações de combustível em Nota Fiscal, adquiridos a partir de 15/01/21 terão alíquota de 4%, de acordo com Lei 17.293/2020. As picapes cabine dupla pagam 4%. Os utilitários (cabine simples), ônibus, micro-ônibus, motocicletas, motonetas, quadriciclos e similares recolhem 2% sobre o valor venal. Os caminhões pagam 1,5%.

A frota total no Estado de São Paulo é de aproximadamente 26 milhões de veículos. Desses, 17,8 milhões estão sujeitos ao recolhimento do IPVA e 7,6 milhões estão isentos por terem mais de 20 anos de fabricação. Cerca de 618 mil veículos são considerados isentos, imunes ou dispensados do pagamento (como taxistas, pessoas com deficiência, igrejas, entidades sem fins lucrativos, veículos oficiais e ônibus/micro-ônibus urbanos).

A Fazenda prevê arrecadar R$ 18,5 bilhões com o IPVA em 2021. Deste total, descontadas as destinações constitucionais (como o Fundeb), o valor restante é repartido 50% para os municípios de registro dos veículos, que devem corresponder ao local de domicílio ou residência dos respectivos proprietários, e os outros 50% para o Estado. Os recursos do imposto são investidos pelo governo estadual em obras de infraestrutura e melhoria na prestação de serviços públicos como os de saúde e educação.

Calendário de pagamento

Os contribuintes podem pagar o IPVA 2021 em cota única no mês de janeiro, com desconto de 3%, ou parcelar o tributo em três vezes, de acordo com o final da placa do veículo (iniciando o primeiro pagamento em janeiro e as outras duas parcelas nos meses de fevereiro e março). Também é possível quitar o imposto no mês de fevereiro de maneira integral, sem desconto. Os caminhões têm prazos diferenciados: para o pagamento integral sem desconto, o vencimento é no dia 15/4 (independente do final de placa); para os proprietários que optarem pelo parcelamento em três vezes, os vencimentos são em março, junho e setembro (veja as tabelas completas abaixo).

Os proprietários deverão observar o calendário de vencimento por final de placa do veículo. Para efetuar o pagamento do IPVA 2021, basta o contribuinte ir a uma agência bancária credenciada, com o número do RENAVAM (Registro Nacional de Veículo Automotor) e efetuar o recolhimento nos terminais de autoatendimento, pela internet ou débito agendado, nos guichê de caixa ou outros canais oferecidos pela instituição bancária. Também é possível realizar o pagamento em casas lotéricas e com cartão de crédito, nas empresas credenciadas à Secretaria da Fazenda e Planejamento. 

Atraso de pagamento

O contribuinte que deixar de recolher o imposto fica sujeito a multa de 0,33% por dia de atraso e juros de mora com base na taxa Selic. Passados 60 dias, o percentual da multa fixa-se em 20% do valor do imposto.

Permanecendo a inadimplência do IPVA, o débito será inscrito e, como consequência, a multa passará a 40% do valor do imposto, além da inclusão do nome do proprietário no Cadin Estadual, impedindo-o de aproveitar eventual crédito que possua por solicitar a Nota Fiscal Paulista. A partir do momento em que o débito de IPVA estiver inscrito, a Procuradoria Geral do Estado poderá vir a cobrá-lo mediante protesto.

Após o prazo para licenciamento, conforme calendário do Detran, a inadimplência do IPVA impedirá de fazê-lo. Como consequência, o veículo poderá vir a ser apreendido, com multa aplicada pela autoridade de trânsito e sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). 

Calendário de vencimento do IPVA 2021 

Automóveis, Caminhonetes, Ônibus, Micro-ônibus, Motos e similares
Mês Janeiro Fevereiro Março
Parcela 1ª Parcela ou Cota Única COM Desconto 2ª Parcela ou Cota Única
SEM Desconto
3ª Parcela
Placa Dia do Vencimento Dia do Vencimento Dia do Vencimento
Final 1 7/1 9/2 9/3
Final 2 8/1 10/2 10/3
Final 3 11/1 11/2 11/3
Final 4 12/1 12/2 12/3
Final 5 13/1 18/2 15/3
Final 6 14/1 19/2 16/3
Final 7 15/1 22/2 17/3
Final 8 18/1 23/2 18/3
Final 9 19/1 24/2 19/3
Final 0 20/1 25/2 22/3

 

 

Caminhões
Mês Janeiro Março Abril Junho Setembro
Parcela Cota Única COM Desconto 1ª Parcela Cota Única SEM Desconto 2ª Parcela 3ª Parcela
Placa Dia do Vencimento Dia do Vencimento Abril Junho Setembro
Final 1 7/1 9/3 15/4 15/6 15/9
Final 2 8/1 10/3
Final 3 11/1 11/3
Final 4 12/1 12/3
Final 5 13/1 15/3
Final 6 14/1 16/3
Final 7 15/1 17/3
Final 8 18/1 18/3
Final 9 19/1 19/3
Final 0 20/1 22/3

 

*Por: Governo de SP

MUNDO - O Japão quer proibir a venda de veículos novos a gasolina ou diesel em 15 anos como parte dos esforços para alcançar a neutralidade de carbono até 2050, informou a imprensa local.

De acordo com o jornal Mainichi, que não cita suas fontes, o governo japonês e as montadoras negociam o projeto, que deve entrar em vigor em meados da década de 2030 e pode ser anunciado na próxima semana.

Em outubro, o primeiro-ministro Yoshihide Suga se comprometeu a que o Japão alcance a neutralidade de carbono até 2050, o que obriga as grandes empresas a preparar estratégias para limitar as emissões de CO2.

O anúncio japonês foi bem recebido por organizações ecológicas e pela ONU, mas Tóquio, ainda muito dependente dos combustíveis fósseis, não revelou detalhes sobe como pretende alcançar a meta.

O país deseja aumentar a proporção de veículos de baixas emissões, tanto híbridos como elétricos, a 50-70% até 2030, contra 40% em 2019.

O estado americano da Califórnia anunciou em setembro que proibirá a venda de carros novo com motor a gasolina ou diesel a partir de 2035.

O Reino Unido estabeleceu como meta proibir as vendas de veículos novos a gasolina e diesel em 2030.

 

 

*Por: AFP

MUNDO - A Fórmula 1 anunciou nesta sexta-feira (16) o cancelamento do Grande Prêmio do Vietnã, o primeiro que ocorreria no país. A corrida seria em abril, mas foi suspensa em março, devido à pandemia do novo coronavírus (covid-19). A etapa asiática não havia sido remarcada desde a reformulação do calendário da temporada 2020, que teve a versão definitiva publicada em agosto.

A prova no circuito urbano na capital Hanói foi a 13ª cancelada pela categoria em 2020. Também ficaram fora do calendário os GPS de Austrália, Azerbaijão, Brasil, Canadá, China, Estados Unidos, França, Holanda, Japão, México, Mônaco e Singapura.

"Foi uma decisão difícil, mas extremamente necessária, em razão da contínua incerteza causada pela pandemia global de coronavírus", disse a nota oficial divulgada pela organização. "Não poderemos receber a mais emocionante e prestigiada competição automobilística do planeta. Foi a única solução possível, após revermos, cuidadosamente, todos os critérios de segurança, assim como a eficiência deles diante das atuais condições. Agradecemos pelo apoio e compreensão", declarou o chefe-executivo do GP vietnamita, Le Ngoc Chi.

Segundo o Ministério da Saúde do Vietnã, o país registrou mais de 1,1 mil casos confirmados de covid-19 e 35 óbitos causados pela doença desde o início da pandemia.

Mundial adaptado

Adaptada às restrições da pandemia da covid-19, a edição 2020 do Mundial de Fórmula 1 tem 17 corridas programadas, em 12 países. A Itália receberá três provas ao todo, em três cidades diferentes. Além disso, dois dos 14 circuitos selecionados (Red Bull Ring, em Spielberg, na Áustria, e Silverstone, na Inglaterra) já abrigaram duas etapas.

A sete GPs do fim do campeonato, o inglês Lewis Hamilton, da Mercedes, lidera com 230 pontos, contra 161 do companheiro de equipe e finlandês Valtteri Bottas. A próxima corrida será no próximo dia 25, em Portugal, no Autódromo Internacional do Algarve, na cidade de Portimão.

 

 

*Por Lincoln Chaves - Repórter da TV Brasil e Rádio Nacional

*Agência Brasil

MUNDO - A semana não é das melhores para Sergio Pérez, fora do GP da Inglaterra após testar positivo para coronavírus. O piloto, que vive um dos momentos “mais tristes da carreira”, fica no olho do furacão após viajar até o México e reacender debate sobre rigidez da FIA nos protocolos de combate à pandemia. Sergio se defende afirmando que só foi até Guadalajara para visitar sua mãe, que se recupera de “um acidente”.

“Eu fico extremamente triste. Esse é um dos dias mais tristes da minha carreira”, disse Pérez em vídeo divulgado nas redes sociais. “A dimensão da preparação que a gente fez para esse fim de semana, garantindo que estaríamos 100%... Fico muito triste que isso tenha acontecido, mas ajuda a mostrar como estamos todos vulneráveis a esse vírus. Eu segui todas as instruções da FIA e da minha equipe. Depois da Hungria, eu fui em um voo privado até o México para visitar minha família e ver minha mãe por dois dias. Ela teve um grande acidente e, quando ela saiu do hospital, pude ver ela. Voltei para a Europa do mesmo jeito que fui, seguindo todos os protocolos”, afirmou.

O acidente da mãe no México, entretanto, não ajuda a responder todas as perguntas sobre o paradeiro de Pérez durante as duas semanas de folga da F1. É que o piloto também foi visto na Itália, passeando com a esposa.

Independente de possíveis descuidos, Pérez aproveitou a oportunidade para destacar a facilidade de se infectar com coronavírus.

“Não sei como peguei [o vírus]. Não tenho sintomas, o que mostra como somos vulneráveis. Quero agradecer aos pilotos que me apoiaram, assim como minha equipe, as autoridades, os fãs. É um momento difícil, mas tenho certeza de que voltarei mais forte”, encerrou.

Pérez está fora do GP da Inglaterra e possivelmente também do GP do 70° Aniversário, no próximo fim de semana. O favorito para ocupar o carro vago na Racing Point é Nico Hülkenberg, que viajou de última hora e já está presente no paddock de Silverstone.

 

 

*Por: GRANDE PRÊMIO

MUNDO - Numa corrida com nove abandonos, Valtteri Bottas conquistou a vitória na abertura da temporada 2020 da Fórmula 1, na Áustria. O finlandês resistiu a um ataque do companheiro Lewis Hamilton, enquanto o inglês foi punido em cinco segundos por um toque com Alexander Albon e caiu de segundo para quarto.

Com uma excelente atuação mesmo com as limitações da Ferrari, Charles Leclerc cruzou a linha de chegada em terceiro e subiu para segundo, e Lando Norris terminou em quarto e passou para terceiro, fazendo a melhor volta na última e ganhando a posição de Hamilton por menos de um segundo.

Completaram a zona de pontuação, da quinta à décima posições, Carlos Sainz (McLaren), Sergio Pérez (Racing Point), Pierre Gasly (AlphaTauri), Esteban Ocon (Renault), Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo) e Sebastian Vettel (Ferrari).

A temporada 2020 segue no próximo fim de semana, com o GP da Estíria, no mesmo circuito de Spielberg.

 

*Por: GloboEsporte.com

MUNDO - Valtteri Bottas superou Lewis Hamilton no momento mais importante e conquistou a primeira pole position da temporada 2020 da Fórmula 1, na Áustria. Na última parte do treino de classificação, o finlandês quebrou o recorde da pista, com 1m02s939, e, mesmo com uma saída de pista na última volta, acabou o treino com 0s012 de vantagem sobre Hamilton.

Diante da superioridade da Mercedes, que fez dobradinha em todos os treinos, Max Verstappen foi o "melhor do resto" e levou a RBR ao terceiro lugar, a mais de meio segundo de Bottas. A boa surpresa foi Lando Norris, que conquistou a quarta posição no grid com a McLaren. Alexander Albon (RBR), Sergio Pérez (Racing Point), Charles Leclerc (Ferrari), Carlos Sainz Jr. (McLaren), Lance Stroll (Racing Point) e Daniel Ricciardo (Renault) completaram os dez primeiros.

A classificação ficou marcada pelo fraco desempenho da Ferrari. Além do discreto sétimo lugar de Leclerc, a decepção ficou por conta de Sebastian Vettel, que ficou apenas em décimo lugar e nem sequer conseguiu se classificar para o Q3.

O GP da Áustria começa às 10h10 (de Brasília) deste domingo, com transmissão ao vivo pela TV Globo. A narração será de Cleber Machado, com comentários de Felipe Giaffone e Luciano Burti. O GloboEsporte.com também mostra a corrida em vídeo.

Os dez primeiros no grid

 

Resultado do Q3 no treino classificatório do GP da Áustria — Foto: Reprodução/FOM

Resultado do Q3 no treino classificatório do GP da Áustria — Foto: Reprodução/FOM

 

*Por GloboEsporte.com — Spielberg, Áustria

MUNDO - A Fórmula 1 abre as atividades oficiais no próximo dia 3, em Spielberg, na Áustria, mas os trabalhos de segurança contra o coronavírus terão início já nessa quinta-feira (25).

Entre 10 e 12 mil testes serão realizados no período de 10 dias, iniciando amanhã e terminando no domingo da corrida. Siegfried Schnabl, diretor da Eurofins Genomics, detalhou o processo para garantir a segurança de todos os envolvidos no GP da Áustria e o da Estíria, que acontece no mesmo local, na semana seguinte.

"Serão 3000 pessoas no circuito que precisarão entrar em zonas importantes, então todos precisam ser testados. As pessoas só vão entrar no autódromo se tiverem teste negativo de quatro dias antes", declarou Schnabl em entrevista à agência austríaca ORF.

Cada membro do paddock será testado a quatro dias. Siegfried também explicou o processo para guardar as informações de todos os envolvidos.

"Somos representados por 50 pessoas que rotineiramente testarão os times da Fórmula 1 e da FIA. As pessoas a serem testadas entram e são gravadas com um código de barras que é importado para o banco de dados. Temos apenas o código de barras e não sabemos quem ele representa", concluiu.

A Áustria tem 17.449 casos - 41 deles registrados nas últimas 24 horas - e 693 mortes. O pico da doença foi registrado ainda em abril, com 30 óbitos.

O Red Bull Ring, em Spielberg, receberá duas etapas do Mundial de F1. Além do tradicional GP da Áustria, entre os dias 3 e 5 de julho, a praça também terá o GP da Estíria, entre 10 e 12 do mesmo mês. São as primeiras duas provas do campeonato, que foi adiado em quase quatro meses por conta da pandemia.

 

 

*Por: Grande Prêmio

Análise da Fiocruz, a partir de dados do Waze, mostra como a população voltou a circular mais, antes mesmo do relaxamento oficial nas medidas de isolamento

 

SÃO PAULO/SP - A equipe de pesquisadores do Instituto de Comunicação e Informação em Saúde (Icict), da Fiocruz, constatou que a população começou a circular mais pelas grandes cidades há duas semanas, antes mesmo de o relaxamento das medidas de isolamento ser efetivamente adotado por alguns prefeitos e governadores. Essa constatação foi feita a partir de dados da intensidade do trânsito de veículos, usando técnicas de big data, a partir do aplicativo Waze.

A equipe do Icict/Fiocruz estudou os dados diários (de 9 de março a 1º de junho) de mobilidade de veículos em cinco regiões metropolitanas, todas com forte incidência de Covid-19 (São Paulo, Rio de Janeiro, Recife/PE, Manaus/AM e Porto Alegre/RS). O objetivo era mensurar, através do volume de tráfego de veículos, a adesão ao isolamento social nessas cidades.

Usando os sinais de posição (GPS) de telefones celulares para medir a velocidade do trânsito e a ocorrência de engarrafamentos, o estudo constatou que, desde meados de março (quando começou o isolamento social), houve forte redução do trânsito em todas as cinco metrópoles.  Porém, nas últimas duas semanas, registrou-se um aumento médio de 20% nos engarrafamentos de trânsito nessas cinco regiões metropolitanas, notadamente em Manaus e Porto Alegre.  Esses engarrafamentos aconteceram principalmente de segunda a sexta-feira, mas em Manaus e Porto Alegre foi constatado que o trânsito aumentou também nos fins de semana.

Christovam Barcellos, geógrafo, especialista em Saúde Pública e vice-diretor do Icict, diz que essa constatação complementa estudos de outras instituições e informações de jornais que vêm indicando uma queda na adesão ao isolamento social.

“Por que as pessoas estão andando mais de carro? É possível que tenha havido um aumento nas atividades de trabalho, ou na urgência em resolver outras        questões cotidianas, após tantas semanas de isolamento. O ponto é que, em cidades como Porto Alegre e Manaus, observa-se também a ocorrência de engarrafamentos nos fins de semana, o que indica que a população está saindo de casa a lazer”, alerta.

O pesquisador chama atenção para a importância de se estudar o comportamento social na epidemia de Covid-19:

“Nosso sentimento é de que as práticas de investigação epidemiológica vêm se perdendo. Isso deveria ser realizado principalmente pelas prefeituras, com apoio de órgãos centrais, como os Centros de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs). É preciso ter agentes de saúde, enfermeiros e médicos de família que conversem mais profundamente com os pacientes e seus contatos, para saber como eles podem ter se infectado, por onde andaram e qual a possibilidade de terem infectado outras pessoas. Além disso, é possível usar técnicas mais modernas, como big data, para monitorar a mobilidade da população e identificar situações de risco. Isso foi feito de maneira muito forte na Coreia do Sul e trouxe ótimos resultados na contenção do vírus. Aqui, ainda não sabemos o porquê de o volume de engarrafamentos ter aumentado em Recife, nas sextas-feiras das últimas duas semanas, por exemplo.”

Com o aumento no fluxo no trânsito, também o vírus pode estar circulando com mais intensidade dentro das regiões metropolitanas, e expandindo-se das capitais para as periferias. “Essas capitais podem exportar o vírus e importar doentes graves nas próximas semanas, devido ao relaxamento no isolamento social, como mostram os mapas de fluxo de internação”, explica Diego Xavier, epidemiologista do Icict e participante do projeto MonitoraCovid-19.

O estudo – que utilizou dados disponíveis no sistema MonitoraCovid-19, também desenvolvido pela equipe do Icict/Fiocruz – está publicado na nota técnica Intensidade de trânsito e relaxamento do isolamento social em grandes cidades.

 

MonitoraCovid-19: https://bigdata-covid19.icict.fiocruz.br 

Classificados Imóveis

Alugo Apartamento

R$ 550,00

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Janeiro 2021 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
        1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30 31

Comércio e Serviços em Geral